segunda-feira, dezembro 31, 2007

Fechado pra balanço


Quando chega a noite, repousamos nossa cabeça a fazemos um balanço do que foi nosso dia. No fim do mês fazemos balanço das nossas contas...e quando o ano se finda, costumamos refletir sobre o que foi nosso ano.

Fechamos pra balanço.

Começamos a puxar pela memória para trazer à tona tudo o que nos aconteceu nesse último ano.

Talvez tenhamos passado por momentos difíceis, dolorosos mesmo onde, muitas vezes chegamos a nos perguntar sobre o sentido de nossa vida. Mas o passar dos dias acabou amenizando esse sentimento. Porque o tempo, se passa rápido ou lentamente, ameniza todas as coisas. E é curioso como, mesmo revivendo na memória, as coisas já não fazem mal como antes... naquele momento de dor, tínhamos a certeza absoluta que isso jamais passaria.

Sofremos perdas irreparáveis, dessas que não é possivel voltar atrás, por mais que tentemos. Mas ganhamos em experiência.

E, entrelaçados a esses momentos de tristezas, houveram as alegrias. Desses momentos em que desejamos que o relógio do tempo pare. Uma onda de emoção nos invade ainda, um sorriso aflora e temos a impressão que nosso rosto se ilumina... é importante trazer esses momentos sempre vivos para que nos ajudem quando a maré estiver baixa.

E nesse mar da vida, onde nadamos e fomos levados, chegamos, finalmente, ao porto do próximo ano. Sobrevivemos e, malas prontas e cheias de experiências, nos preparamos para uma nova embarcação. Talvez nova direção.

Mas, olhando o que passou, nessa contabilidade de momentos vividos, pesando os prós e os contras, chegamos à conclusão que o saldo final é positivo. Todos os que chegamos até aqui temos saldo final positivo, mesmo se durante o ano as coisas negativas tentaram nos afetar. Se não fosse assim, não teríamos chegado até aqui.

E vamos começar o novo ano com o um grande presente desse Deus Pai que esteve conosco durante todo esse ano: uma nova oportunidade!

Temos nas mãos a chance de recomeçar, reconstruir. Nem todos tiveram, mas a nós está sendo dada essa ocasião. Somos privilegiados. E nesse novo ano, mesmo se não podemos ser pessoas novas, podemos nos sentir pessoas renovadas, fortes o bastante para sobreviver às provações, fortes o bastante para conquistar novas vitórias.

(Letícia Thompson)

Oportuno esse texto para refletirmos e iniciarmos um grande ano de 2008!

Aos meus amigos,os mais sinceros votos de felicidades ,sucesso,saúde,amor,que estejamos juntos novamente no ano que chega!
FELIZ 2008!

Beijos

Pan

sexta-feira, dezembro 28, 2007

PAREM O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!

Eu,particularmente ainda acredito na raça humana.Resisto a isso,nenhum robot é melhor do que eu,não assumo esse fracasso imposto!
Aos que brincam de Deus,talvez sobrem mesmo os andróides.
Todo gênio é louco e todo louco é um gênio...Me pergunto onde é que vou me encaixar na história do mundo,onde os próprios humanos não se admiram e querem repassar aos robots a responsabilidade deles.Não atentam que o egocentrismo,a não aceitação da própria essência e da diversidade entre homens e mulheres do planeta(Assim como Hitler,que queria apenas Arianos),caem simplesmente no vazio,no nada,provocando verdadeiras catástrofes.
Será que o homem se prepara pra viver sem amor?Sem sentimentos? Isolado ?
Será que esses robots estarão aptos pra dar continuidade à espécie humana?
Como dizia Raul Seixas...Parem o mundo que eu quero descer!


Amor para a vida toda com um robô sexual
Bonecos sexuais existem desde sempre, mas estão ficando cada vez mais espertos. David Levy, especialista em inteligência artificial, vê um futuro no qual as pessoas irão preferir os robôs aos humanos. Eles oferecerão melhor sexo e melhor relacionamento, diz

Philip Bethge

Andy, cujas medidas são 101, 56 e 86 cm, tem o que muitos homens querem em uma mulher: "Paciência ilimitada". Ao menos é isso que promete a fabricante, First Androids, baseada em Neumarkt, perto de Nuremberg, no sul da Alemanha. Andy também vem com opcionais, inclusive um "sistema de felação, com níveis ajustáveis", um "pulso tangível", "moção do quadril em rotação" e um "sistema de aquecimento com controles ajustáveis" para aumentar a temperatura do corpo.

"Exceto pelos pés -que continuam frios, como na vida real", diz David Levy. O interesse do cientista britânico em Andy é puramente acadêmico, insiste. Para Levy, sua boneca sexual de alta tecnologia é um arauto de uma nova ordem mundial.

Levy é especialista em inteligência artificial. Ele é fascinado pela idéia de "amor e sexo com robôs", e suas visões de futuro incluem robôs masculinos e femininos como amantes e parceiros. Campeão de xadrez e presidente da Associação Internacional de Jogos de Computador, Levy, 62, acaba de publicar um livro, "Love and Sex with Robots: The Evolution of Human-Robot Relationships" (amor e sexo com robôs: a evolução dos relacionamentos entre humanos e robôs) -que é provocativo no verdadeiro sentido da palavra. Ele está convencido que os seres humanos farão sexo com robôs um dia. Eles vão nos mostrar práticas sexuais que nem imaginávamos existir. Vamos amá-los e respeitá-los e confiaremos a eles nossos mais íntimos segredos. Tudo isso, diz Levy, será realidade em 40 anos.



"O próprio conceito de parceiro artificial, marido, mulher, amigo ou amante desafia a noção de relacionamento da maior parte das pessoas no início do século 21,", diz Levy. "Mas minha tese é a seguinte: os robôs serão enormemente atraentes para os humanos como companheiros, por causa de seus muitos talentos, sentidos e capacidades." Com o rápido desenvolvimento da tecnologia, Levy acredita que é apenas uma questão de tempo antes das máquinas poderem oferecer traços humanos. De acordo com Levy, "amor e sexo com robôs em grande escala são inevitáveis".

A idéia de amor envolvendo andróides não é exatamente nova. Na mitologia grega, o escultor Pygmalino faz uma estátua de marfim de sua mulher ideal. Ele reza para a deusa do amor Afrodite para trazer vida à estátua, que ele chamou de Galatea. Afrodite concorda em ajudá-lo e, quando Pygmalion beija Galatea, ela devolve o beijo e os dois se casam.

A mesma coisa pode logo estar acontecendo com robôs. Levy já vê sinais de 'robofilia' nascente em toda parte. De acordo com Levy, o apelo do cão robô da Sony, Aibo, e de Furby, brinquedo que parece uma bola de pelo com apêndices e um circuito de computador interno, mostram o potencial da tecnologia de servir como espelho das emoções humanas. "Hoje em dia, é relativamente comum as pessoas desenvolverem fortes ligações emocionais com seus bichos de estimação virtuais, inclusive robóticos", diz Levy. "Então, por que se surpreender quando as pessoas formarem apegos igualmente fortes com pessoas virtuais, com robôs?"

Mesmo os computadores simples exercem uma atração quase mágica para algumas pessoas. A dedicatória do livro de Levy diz: "Para Anthony, estudante do MIT que tentou ter namoradas, mas descobriu que preferia relacionamentos com computadores. E para todos os outros 'Anthonys' do passado, presente e futuro, dos dois sexos." O que os viciados em computador dirão quando puderem brincar com computadores que se movem, falam e parecem ser pessoas e possivelmente até com emoções?

No que diz respeito ao sexo, os robôs podem em breve suplantar a experiência original de carne e osso, diz Levy. O pesquisador mergulhou fundo na história da máquina erótica para documentar a suscetibilidade do Homo sapiens aos brinquedos sexuais mecânicos. Ele descobriu evidências de vibradores movidos por mecanismos de relógio ou a vapor. Levy descreve uma máquina de masturbação para mulheres movida a pedal, desenhada em 1926 por engenheiros na cidade alemã de Leipzig. Em uma antologia pornográfica do século 17 do Japão, o autor leu sobre um "travesseiro de viagem libidinoso". A vulva artificial, chamada de "azumagata" (mulher substituta) em japonês, era feita de casco de tartaruga e tinha um buraco forrado de cetim.

Em suas viagens pelo globo, os marinheiros holandeses compartilhavam suas camas com bonecas de couro costuradas a mão, o que explica porque os japoneses hoje se referem às bonecas sexuais como "esposas holandesas" -apesar da versão atual não ser mais de couro. A empresa japonesa Orient Industry vende bonecas femininas que são réplicas quase perfeitas de jovens japonesas -desde a ponta do cabelo até a consistência da pele. O sucesso da empresa baseia-se em um modelo anterior chamado de "Antarctica", uma boneca que os cientistas costumavam levar para a estação de pesquisa do Japão Showa, para aquecerem-se durante o longo inverno antártico.

A empresa americana RealDoll, líder do mercado em bonecas sexuais, vende os modelos "Leah" e "Stephanie" por US$ 6.500 (cerca de R$ 12.000) cada. Os clientes podem encomendar as bonecas com busto de tamanho 30AA até 34F. Cada boneca vem com três "portais de prazer". Outro modelo, "Charlie", vem até com um pênis de vários tamanhos, assim como "entrada anal" opcional.

Serão simples brinquedos eróticos para uma rapidinha ocasional? De forma alguma, diz Hideo Tsuchiya, presidente da Orient Industry. "Uma esposa holandesa não é meramente uma boneca ou um objeto", insiste. "Ela pode ser uma amante insubstituível, que fornece uma sensação de cura emocional."

Levy tem opinião similar. Mas será que os robôs vão se parecer tanto com os humanos nas próximas décadas que serão equivalentes ou até melhores que os amantes humanos?

Imitar a aparência humana parece ser o menor dos desafios. Há dois anos, o especialista japonês Hiroshi Ishiguro revelou seu robô "Repliee Q1". O estranho nome engana. A criação de Ishiguro pode facilmente se passar como a primeira mulher robótica da história. Graças a 42 ativadores movidos por ar comprimido, ela pode "virar e reagir de forma parecida com os humanos", diz Levy. "Repliee Q1 pode piscar, parece respirar, move as mãos como uma pessoa e responde ao toque", diz entusiasmado.

Muito mais difícil que os traços externos, entretanto, será o desafio de criar algo parecido com uma alma. Os maiores obstáculos são alguns dos comportamentos mais fundamentais do homem. Os sensores robóticos atuais, por exemplo, não são capazes de distinguir de forma confiável entre as pessoas, diz Levy. Ele admite que, se um robô não conseguir reconhecer seu parceiro, ou o confundir com outra pessoa, o relacionamento será facilmente arruinado.

Ainda assim, Levy prevê que os avanços virão rapidamente. Para Levy, imbuir robôs com traços tão humanos quanto empatia, humor, compreensão e amor é meramente uma questão de tecnologia. A empatia, por exemplo, é "uma questão essencialmente de aprendizado", diz ele e portanto "relativamente fácil de instalar em robôs". Só o que a máquina precisa fazer é observar seu parceiro, fazer deduções inteligentes sobre os pensamentos do parceiro e reagir de acordo.

Levy vê um futuro no qual a inteligência artificial permitirá aos robôs se comportarem como se tivessem atravessado todo o espectro da experiência humana, sem de fato ser o caso. Ele cita as emoções como exemplo. "Se um robô se comporta como se estivesse sentimentos, podemos razoavelmente argumentar que não tem? Se as emoções artificiais de um robô o levam a dizer coisas como 'eu te amo', certamente devemos estar dispostos a aceitar essas declarações, desde que os outros comportamentos do robô as corroborem."

Levy vê vantagens em companheiros artificiais sobre parceiros humanos. A infidelidade, as mudanças de humor, o mau gosto, a falta de higiene, a obsessão com futebol - todas essas dificuldades de relacionamento seriam jogadas no lixo da história. Os parceiros robóticos seriam até imortais. Levy imagina que o usuário poderá arquivar toda a personalidade de seus andróides em discos rígidos. Se um robô for destruído, será fácil encomendar um novo.

E o sexo! Sempre disposto, nunca desapontado, adeus dores de cabeça -e com as fantasias mais sujas disponíveis para download. Um robô poderia ser programado para oferecer "posições e técnicas sexuais de todo o mundo" ou colocado em "modo de ensino para um aprendiz sexual", diz Levy. Tudo, desde as dimensões da vagina e do pênis, cheiro do corpo até a barba, pode ter opções disponíveis.

"Imagine um mundo no qual os robôs são (quase) como nós", diz Levy. "O efeito na sociedade será enorme". Ele também aborda as questões potenciais éticas e morais após a grande invasão robótica. Será antiético emprestar robôs sexuais aos amigos, por exemplo, ou "usar o robô sexual de um amigo sem contar para ele"? Será permitido enganar andróides? O que os maridos farão quando as mulheres disserem: "Esta noite não, amor, vou fazer com o robô?"

Levy está convencido que as mulheres, em particular, após as dúvidas iniciais, vão apreciar os robôs como alternativa para seus maridos suados. O fato de seu apetite sexual freqüentemente ir além do desempenho medíocre de muitos homens reflete-se nas "incríveis vendas" de vibradores, diz Levy.

E os homens? Bem, quanto a eles, todo esse barulho sobre inteligência artificial é energia desperdiçada. Eles estão dispostos a "fazerem sexo com bonecas infláveis", diz Henrik Christensen, coordenador da Rede de Pesquisa de Robótica Européia. Será fácil fazer algo melhor. "Qualquer coisa que se mova será uma melhora."

quinta-feira, dezembro 27, 2007

ESCUTATÓRIA

(RUBEM ALVES)

Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular.

Escutar é complicado e sutil. Diz Alberto Caeiro que 'não é bastante não ser cego para ver as árvores e as flores. É preciso também não ter filosofia nenhuma'.

Filosofia é um monte de idéias, dentro da cabeça, sobre como são as coisas. Para se ver, é preciso que a cabeça esteja vazia.

Parafraseio o Alberto Caeiro: 'Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito; é preciso também que haja silêncio dentro da alma'. Daí a dificuldade: a gente não agüenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor, sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer.

Como se aquilo que ele diz não fosse digno de descansada consideração e precisasse ser complementado por aquilo que a gente tem a dizer, que é muito melhor.

Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante e sutil de nossa arrogância e vaidade: no fundo, somos os mais bonitos...

Tenho um velho amigo, Jovelino, que se mudou para os Estados Unidos estimulado pela revolução de 64. Contou-me de sua experiência com os índios.

Reunidos os participantes, ninguém fala. Há um longo, longo silêncio. (Os pianistas, antes de iniciar o concerto, diante do piano, ficam assentados em silêncio, abrindo vazios de silêncio, expulsando todas as idéias estranhas.). Todos em silêncio, à espera do pensamento essencial. Aí, de repente, alguém fala. Curto. Todos ouvem.

Terminada a fala, novo silêncio. Falar logo em seguida seria um grande desrespeito, pois o outro falou os seus pensamentos, pensamentos que ele julgava essenciais. São-me estranhos. É preciso tempo para entender o que o outro falou. Se eu falar logo a seguir, são duas as possibilidades.

Primeira: 'Fiquei em silêncio só por delicadeza. Na verdade, não ouvi o que você falou. Enquanto você falava, eu pensava nas coisas que iria falar quando você terminasse sua (tola) fala. Falo como se você não tivesse falado'.

Segunda: 'Ouvi o que você falou. Mas isso que você falou como novidade eu já pensei há muito tempo. É coisa velha para mim. Tanto que nem preciso pensar sobre o que você falou'.

Em ambos os casos, estou chamando o outro de tolo. O que é pior que uma bofetada. O longo silêncio quer dizer: 'Estou ponderando cuidadosamente tudo aquilo que você falou'. E assim vai a reunião.

Não basta o silêncio de fora. É preciso silêncio dentro. Ausência de pensamentos. E aí, quando se faz o silêncio dentro, a gente começa a ouvir coisas que não ouvia.

Eu comecei a ouvir.

Fernando Pessoa conhecia a experiência, e se referia a algo que se ouve nos interstícios das palavras, no lugar onde não há palavras.

A música acontece no silêncio. A alma é uma catedral submersa.

No fundo do mar - quem faz mergulho sabe - a boca fica fechada. Somos todos olhos e ouvidos. Aí, livres dos ruídos do falatório e dos saberes da filosofia, ouvimos a melodia que não havia, que de tão linda nos faz chorar.

Para mim, Deus é isto: a beleza que se ouve no silêncio. Daí a importância de saber ouvir os outros: a beleza mora lá também.

Comunhão é quando a beleza do outro e a beleza da gente se juntam num contraponto.

Gestão por resultados

Numa cidade do interior viviam dois homens de mesmo nome: José da Silva. Um era sacerdote e o outro taxista, e quis o destino que morressem no mesmo dia.

Quando chegaram ao céu, São Pedro os esperava.

O teu nome?

José da Silva.

O sacerdote?

Não, o taxista.

São Pedro consultou suas notas e disse:

Bem, ganhastes o Paraíso. Leva esta túnica com fios de ouro. Podes entrar.

A seguir...

O teu nome?

José da Silva.

O sacerdote?

Sim, eu mesmo.

Bem, ganhastes o Paraíso. Leva esta túnica de linho. Podes entrar.

O sacerdote estranhou:

Desculpe, mas deve haver engano. Eu sou o José da Silva, o sacerdote!

Sim, meu filho, ganhastes o Paraíso. Leva esta túnica de linho e... Não pode ser! Eu conheço aquele cara, o taxista. Vivia na minha cidade e era um desastre! Subia as calçadas, batia com o carro todos os dias, conduzia pessimamente e assustava as pessoas. Nunca mudou, apesar das multas e repreensões policiais. E quanto a mim, passei 75 anos pregando todos os domingos na paróquia. Como é que ele recebe a túnica com fios de ouro e eu... isto?Não há nenhum engano - disse-lhe São Pedro -. Aqui no céu, adotamos uma Gestão por Resultados, como a de vocês lá na Terra.

Não entendo!

Eu explico: agora nos orientamos por objetivos. E observamos que nos últimos anos, cada vez que tu pregavas, as pessoas dormiam, e cada vez que ele conduzia o táxi, as pessoas rezavam, então, meu bom padre, suas intenções foram muito boas, mas, até para entrar no Céu,

Resultado é o que importa!

BOAS FESTAS!

http://www.elfyourself.com/?id=1723436653

domingo, dezembro 23, 2007

A menina dos fósforos



Estava tanto frio! A neve não parava de cair e a noite aproximava-se. Aquela era a última noite de Dezembro, véspera do dia de Ano Novo. Perdida no meio do frio intenso e da escuridão, uma pobre rapariguinha seguia pela rua fora, com a cabeça descoberta e os pés descalços. É certo que ao sair de casa trazia um par de chinelos, mas não duraram muito tempo, porque eram uns chinelos que já tinham pertencido à mãe, e ficavam-lhe tão grandes, que a menina os perdeu quando teve de atravessar a rua a correr para fugir de um trem. Um dos chinelos desapareceu no meio da neve, e o outro foi apanhado por um garoto que o levou, pensando fazer dele um berço para a irmã mais nova brincar.

Por isso, a rapariguinha seguia com os pés descalços e já roxos de frio; levava no avental uma quantidade de fósforos, e estendia um maço deles a toda a gente que passava, apregoando: — Quem compra fósforos bons e baratos? — Mas o dia tinha-lhe corrido mal. Ninguém comprara os fósforos, e, portanto, ela ainda não conseguira ganhar um tostão. Sentia fome e frio, e estava com a cara pálida e as faces encovadas. Pobre rapariguinha! Os flocos de neve caíam-lhe sobre os cabelos compridos e loiros, que se encaracolavam graciosamente em volta do pescoço magrinho; mas ela nem pensava nos seus cabelos encaracolados. Através das janelas, as luzes vivas e o cheiro da carne assada chegavam à rua, porque era véspera de Ano Novo. Nisso, sim, é que ela pensava.

Sentou-se no chão e encolheu-se no canto de um portal. Sentia cada vez mais frio, mas não tinha coragem de voltar para casa, porque não vendera um único maço de fósforos, e não podia apresentar nem uma moeda, e o pai era capaz de lhe bater. E afinal, em casa também não havia calor. A família morava numa água-furtada, e o vento metia-se pelos buracos das telhas, apesar de terem tapado com farrapos e palha as fendas maiores. Tinha as mãos quase paralisadas com o frio. Ah, como o calorzinho de um fósforo aceso lhe faria bem! Se ela tirasse um, um só, do maço, e o acendesse na parede para aquecer os dedos! Pegou num fósforo e: Fcht!, a chama espirrou e o fósforo começou a arder! Parecia a chama quente e viva de uma candeia, quando a menina a tapou com a mão. Mas, que luz era aquela? A menina julgou que estava sentada em frente de um fogão de sala cheio de ferros rendilhados, com um guarda-fogo de cobre reluzente. O lume ardia com uma chama tão intensa, e dava um calor tão bom! Mas, o que se passava? A menina estendia já os pés para se aquecer, quando a chama se apagou e o fogão desapareceu. E viu que estava sentada sobre a neve, com a ponta do fósforo queimado na mão.

Riscou outro fósforo, que se acendeu e brilhou, e o lugar em que a luz batia na parede tornou-se transparente como tule. E a rapariguinha viu o interior de uma sala de jantar onde a mesa estava coberta por uma toalha branca, resplandecente de loiças finas, e mesmo no meio da mesa havia um ganso assado, com recheio de ameixas e puré de batata, que fumegava, espalhando um cheiro apetitoso. Mas, que surpresa e que alegria! De repente, o ganso saltou da travessa e rolou para o chão, com o garfo e a faca espetados nas costas, até junto da rapariguinha. O fósforo apagou-se, e a pobre menina só viu na sua frente a parede negra e fria.

E acendeu um terceiro fósforo. Imediatamente se encontrou ajoelhada debaixo de uma enorme árvore de Natal. Era ainda maior e mais rica do que outra que tinha visto no último Natal, através da porta envidraçada, em casa de um rico comerciante. Milhares de velinhas ardiam nos ramos verdes, e figuras de todas as cores, como as que enfeitam as montras das lojas, pareciam sorrir para ela. A menina levantou ambas as mãos para a árvore, mas o fósforo apagou-se, e todas as velas de Natal começaram a subir, a subir, e ela percebeu então que eram apenas as estrelas a brilhar no céu. Uma estrela maior do que as outras desceu em direcção à terra, deixando atrás de si um comprido rasto de luz.

«Foi alguém que morreu», pensou para consigo a menina; porque a avó, a única pessoa que tinha sido boa para ela, mas que já não era viva, dizia-lhe muita vez: «Quando vires uma estrela cadente, é uma alma que vai a caminho do céu.»

Esfregou ainda mais outro fósforo na parede: fez-se uma grande luz, e no meio apareceu a avó, de pé, com uma expressão muito suave, cheia de felicidade!

— Avó! — gritou a menina — leva-me contigo! Quando este fósforo se apagar, eu sei que já não estarás aqui. Vais desaparecer como o fogão de sala, como o ganso assado, e como a árvore de Natal, tão linda.

Riscou imediatamente o punhado de fósforos que restava daquele maço, porque queria que a avó continuasse junto dela, e os fósforos espalharam em redor uma luz tão brilhante como se fosse dia. Nunca a avó lhe parecera tão alta nem tão bonita. Tomou a neta nos braços e, soltando os pés da terra, no meio daquele resplendor, voaram ambas tão alto, tão alto, que já não podiam sentir frio, nem fome, nem desgostos, porque tinham chegado ao reino de Deus.

Mas ali, naquele canto, junto do portal, quando rompeu a manhã gelada, estava caída uma rapariguinha, com as faces roxas, um sorriso nos lábios… mor ta de frio, na última noite do ano. O dia de Ano Novo nasceu, indiferente ao pequenino cadáver, que ainda tinha no regaço um punhado de fósforos. — Coitadinha, parece que tentou aquecer-se! — exclamou alguém. Mas nunca ninguém soube quantas coisas lindas a menina viu à luz dos fósforos, nem o brilho com que entrou, na companhia da avó, no Ano Novo.




Autor: Hans Christian Andersen

Os melhores contos de Andersen

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Nós Mulheres Somos Mesmo Umas Artistas!

Mulheres em banheiro público...

Minha mãe ficava histérica com os banheiros públicos, quando pequena,
me levava ao banheiro, me ensinava a limpar a tampa do vaso com papel
higiênico e cobrir cuidadosamente com tiras de papel em toda a borda..

Finalmente me instruía: 'Nunca,MAS NUNCA se sente em um banheiro público'.

Logo me mostrava 'A posição' que consiste em se equilibrar sobre o
vaso, em uma posição de sentar sem que o corpo entre em contato com o vaso.

Isso foi há muito tempo, mas ainda hoje em nossa idade adulta, 'a
posição' é dolorosamente difícil de manter quando a bexiga está quase estourando.

Quando você 'tem que ir' a um banheiro público, sempre encontra uma
fila de mulheres que te faz pensar que as cuecas do Brad Pitt estão à venda
pela metade do preço. E assim espera pacientemente e sorri amavelmente às
outras mulheres que também estão discretamente cruzando as pernas.

Finalmente é a sua vez, você olha cada cubículo por baixo da porta pra
ver se não há pernas. Todos estão ocupados, mas finalmente uma porta se
abre e você entra quase jogando a pessoa que está saindo.Você entra e percebe que o trinco não funciona, mas não importa...

Você pendura a bolsa no gancho que tem atrás da porta e, se não tem
gancho, você a pendura no pescoço mesmo, enquanto se equilibra, sem contar que a alça da bolsa quase corta a sua nuca, porque está cheia de porcarias que você foi jogando dentro, das quais não usa a maioria, mas as tem aí, para o caso de 'e se eu precisar?'

Mas, voltando à porta... como não tinha trinco, só lhe resta a opção
de segurá-la com uma mão, enquanto com a outra você abaixa a calcinha e
fica em posição'... Alívio... ahhhhhh... mais alívio, aí é quando suas
pernas começam a relaxar e você adoraria sentar, mas não teve tempo de limpar o vaso e nem cobrir com papel, nessa hora você quase tem um treco de tão aliviada, ai dá uma desequilibrada e erra a mira.

Pronto, o suficiente pra ficar molhada até as meias, e é obvio que dá pra notar.

Para afastar o pensamento dessa desgraça, você procura o rolo de papel higiênico... maaaas.. hehehe, o rolo tá vazio!

E as suas pernas continuam querendo relaxar.

Ai você lembra de um pedacinho de papel que tá na bolsa, meio usado
porque você já limpou o nariz com ele, mas vai ter que servir, você amassa
ele pra absorver o máximo possível, mas ele é muito pequeno, e ainda tá sujo
de meleca. Nisso alguém empurra a porta e, como o trinco não funciona,
você recebe uma baita portada na cabeça.

Aí você grita 'tem genteeeeee' enquanto continua empurrando a porta
com a mão livre e o pedacinho de papel que você tinha na mão cai exatamente em uma pequena poça que tinha no chão e você não sabe se é água ou xixi...hehe ai você vai de costas e desequilibra, caindo sentada no vaso.

Você se levanta rapidamente, mas já é tarde, seu traseiro já entrou
em contato com todos os germes e formas de vida do vaso porque VOCÊ não o cobriu com papel higiênico, que de qualquer maneira não havia, mesmo
se você tivesse tido tempo de fazer isso.

Sem contar o golpe na cabeça, o quase corte na nuca pela alça da
bolsa, a espirrada de xixi nas pernas e nas meias, que ainda estão
molhadas....a lembrança de sua mãe que estaria terrivelmente envergonhada de você, porque o traseiro dela nunca sequer tocou o assento de um banheiro público, porque francamente, 'você não sabe que tipo de doença poderia pegar ai'.

Mas a aventura não termina ai... agora a descarga do banheiro, que tá
tão desregulada que jorra água como se fosse uma fonte e manda tudo pro
esgoto com tanta força que você tem que se segurar no porta-papel (quando
tem) com medo de que aquele negócio te leve junto e te mande pra China. Ai é finalmente quanto você se rende, está ensopada pela água que saiu da
privada como uma fonte.

Você está exausta. Tenta se limpar com uns papeizinhos de chiclete
Trident que estavam na bolsa e depois sai discretamente para a pia.

Você não sabe muito bem como funcionam as torneiras automáticas
também, e então dá uma limpadinha nas mãos com saliva mesmo e seca com toalha de papel e sai passando pela fila de mulheres que ainda estão esperando com as pernas cruzadas e nesse momento você é incapaz de sorrir cortesmente.
Uma alma caridosa no fim da fila te diz que você tá com um pedaço de
papel higiênico do tamanho do rio Amazonas grudado no sapato!

Você puxa o papel do sapato e joga na mão da mulher que disse que tava grudado e lhe diz suavemente:

'Toma! Você vai precisar!' e sai.

Nesse momento, seu namorado ou marido que entrou, usou e saiu do
banheiro masculino e teve tempo de sobra pra ler ' Guerra e Paz' enquanto esperava, te pergunta:
'Porque demorou tanto?'

É nessa hora que você dá um chute no saco dele e o manda pra puta que o pariu!

Este texto é dedicado a todas as mulheres de todas as partes do mundo
que já tiveram que usar um banheiro público.

E finalmente explica a vocês, homens, por que nós demoramos tanto.

Acrescento, ainda, as seguintes situações:

- quando você está de calça comprida e o chão está todo molhado e tem
que subir as pernas da calça para não arrastar no chão e, em pleno xixi,
uma das pernas desenrola e tem que segurá-la para não molhar. Acontece
muito quando as pernas são do tipo mais largas. Viva a moda das pernas justas!!!!


- quando não tem onde pendurar a bolsa e você está com um modelo sem
alça comprida e tem que segurar com os dentes. Imaginem tudo isso, mais a situação acima...

- se você está naqueles dias então... é o caos! Complica mais ainda se
o absorvente não adere à calcinha e você o avista 'navegando' dentro da
vaso e lembra que não tem outro na bolsa...e não tem papel higiênico, nem Trident..

- se você está agachada no vaso em pleno xixi, numa das situações
descritas ou em todas... o celular toca dentro da bolsa e você sabe
que a ligação é muito importante e que deve atender naquela hora...hehehehe


Resumindo: a ida da mulher ao banheiro público, em qualquer situação,
torna-se uma grande aventura. O pior de tudo é sair de lá de dentro como se nada
tivesse acontecido ...

VOCÊ JÁ IMAGINOU O QUE O PT FARIA SE FÔSSE NO GOVERNO DO FHC?

A epidemia de dengue fosse incontrolável como agora? E a febre aftosa?
Se faltasse gás?
Se os lucros dos bancos fossem tão "vultuosos" como agora?
Se houvesse tantos acidentes aéreos?
Se houvesse o caos aéreo?
Se o FHC se rebaixasse para o ditador Chavez e para o Morales?
Se o FHC comprasse um avião tão luxuoso?
Se todos os "amigos"do FHC fossem corruptos?
Se o FHC "perdoasse" a dívida de tantos "amiguinhos"?
Se o FHC tivesse um filhinho tão espertinho e iluminado?
Se as despesas do palácio aumentassem tanto?
Se uma deputada da base de apoio ao Governo perdesse a compostura em plenário ao dançar na comemoração de uma absolvição de um CORRUPTO?
Se alguma ministra de FHC nos mandasse relaxar e gozar?
Se a primeira dama não fizesse "porcaria nenhuma" mas tivesse cartão de crédito ilimitado?
Se o FHC aparelhasse o estado com milhares de empregos para "os companheiro"?
Se algum "aspone" (assistente de porra nenhuma) do presidente gesticulasse no sentido de que se F... quando caísse algum avião?
Se o FHC declarasse sempre que não sabia de nada?
Se o FHC fosse amiguinho do presidente mais corrupto que o senado já teve?
Se o leite contivesse soda cáustica?
Se algum ministro do FHC declarasse que soda cáustica no leite não faz mal à saúde?
(Desde que a família do ilustre não tome este leite,é claro!O povo que engula o leite com soda cáustica e o que mais conter!)
O que o PT diria?
Aonde anda o PT?
Como dizia o Geraldo Vandré...alguém se lembra dele? Dos tempos da ditadura?(Bem vamos embora q esperar não é saber,Quem sabe faz a hora, não espera acontecer...)

Petista é como pardal: Tem em todo lugar, não serve pra nada, é feio, não canta e ainda caga no país inteiro".


Autores Conhecidos - (Nós! Os brasileiros arrependidos)

segunda-feira, dezembro 10, 2007

MSN

Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSNs. Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do nick.

O espaço "nome" foi criado pela Microsoft para que você digite o nome que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que "Vendo Abadá do Eva e Coco" é na verdade Tiago Carvalho, ou "Ainda te amo Pedro Henrique" é o MSN de Marcela Cordeiro.
Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o nick diz muito sobre estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa.

"A-M-I-G-A-S o fim de semana foi perfeito!!!" acabou de entrar. Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes, terminou o namoro e está encalhadona. Uma semana antes está com o nick "O fim de semana promete". Quer mostrar pro ex e pros peguetes que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o rabo de tequila e beijar umas bocas repetidas. O pior, é que você conhece o casal e está no meio desse "tiroteio", já que o ex dela é também conhecido seu, entra com o nick "Hoje tem mais balada!", tentando impressionar seus amigos e amigas e as novas presas de sua mira, de que sua vida está mais do que movimentada, além de tentar fazer raiva na ex.

"Polly em NY" acabou de entrar. Essa com certeza quer que todos saibam que ela está em uma viagem bacana. Tanto que em breve colocará uma foto da 5ª Avenida no Orkut com a legenda "Eu em Nova York". Por que ninguém bota no Orkut foto de uma viagem feita a Caculé no São João?

"Quando Deus te desenhou ele tava namorando" acabou de entrar. Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais toca nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como "Diga que valeuuu" ou "O Asa Arreia" na época do carnaval.

"Por que a vida faz isso comigo?" acabou de entrar. Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé na bunda e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex.

"Maria Paula ocupada prá caralho" acabou de entrar. Se está ocupada prá caralho, por que entrou cara-pálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir à janelinha azul piscando na telinha e vai mandar o trabalho pras cucuias.

"Paulão, quero você acima de tudo" acabou de entrar. Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado por elas.

“Marizinha no banho" acabou de entrar. Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu nick para "Marizinha bebendo água". Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o nick. "Marizinha matriculando o moleque na natação".

"Galinha que persegue pato morre afogada" acabou de entrar. Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que tá dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e cia.

"VENDO ingressos para a Chopada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP" acabou de entrar. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobe no meu computador é espaço publicitário.

"Me pegue pelos cabelos, sinta meu cheiro, me jogue pelo ar, me leve pro seu banheiro..." acabou de entrar. Sempre usa um provérbio, trecho de música ou nick sedutores. Adora usar trechos de funk ou pagode com duplo sentido. Está há 6 meses sem dar um tapa na macaca e está doida prá arrumar alguém pra fazer o servicinho.

"Danny Bananinha" acabou de entrar. Quer de qualquer jeito emplacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades gostosas, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegará nem a figurante do Linha Direta..."

MENTIRAS

Você disse que me ama
eu quase acreditei
a verdade entrou na briga
para desmentir você.

A verdade nos machuca
mas não deixa cicatrizes
se me amasse como diz
não fugiria de mim.

Você disse que me adora
mas me joga ao vento assim
não me procura, me esquece
nem sequer cuida de mim.

Você disse que a saudade
toma conta dos seus dias
como se fosse possível
sentir saudade e partir!


(Tere Penhabe)

domingo, novembro 25, 2007

"Uma nação pode sobreviver aos idiotas e até aos gananciosos, mas não pode sobreviver à traição gerada dentro de si mesma. Um inimigo exterior não é tão perigoso, porque é conhecido e carrega suas bandeiras abertamente. Mas o traidor se move livremente dentro do governo, seus melífluos sussurros são ouvidos entre todos e ecoam no próprio vestíbulo do Estado. E esse traidor não parece ser um traidor; ele fala com familiaridade a suas vítimas, usa sua face e suas roupas e apela aos sentimentos que se alojam no coração de todas as pessoas. Ele arruína as raízes da sociedade; ele trabalha em segredo e oculto na noite para demolir as fundações da nação; ele infecta o corpo político a tal ponto que este sucumbe".
(Discurso de Cícero, tribuno romano, 42 a.C.)

segunda-feira, novembro 12, 2007

Um dia sentirás minha falta



Um dia você vai procurar no infinito e verás apenas uma estrela dizendo que fui embora.

Pedirás a ela que lhe mostre o caminho,

mas será inútil, pois apagarei minhas pegadas com a minha dor, mas não quero esquecê-lo para que eu lembre que esse amor terá que morrer no passado.

Um dia a saudade ferirá seu peito,

não que ainda tenha sido importante para você, mas porque fui inútil na sua vida.

E quando precisar de alguém nos momentos tristes de sua vida, encontrarás apenas o vazio.

Certamente lembrarás de mim, e seus olhos impressivos chorarão.

Um dia buscarás minha poesia no pôr-do-sol e no despertar da lua,

mas encontrarás apenas o silêncio e perguntarás: onde estás?

E respostas não terás, porque até mesmo a natureza se negará a dizer.

Um dia quando os seus sonhos forem derrubados pela incompreensão,

sentirás no peito a flecha do arrependimento por não ter amado quem muito te amou.

A verdade é que um dia sentirás minha falta, mas será inútil chorar, pois suas lágrimas não me trarão de volta,

porém, farei delas um rio e navegarei para longe do porto onde estiveres.

Deixarei apenas a saudade

para que ela te acompanhe onde andares.

E ela lhe mostrará o quanto minha presença pode lhe fazer falta.

A.D

terça-feira, novembro 06, 2007

Como capturar porcos selvagens



Havia um professor de química em um grande colégio com alunos de intercâmbio em sua turma. Um dia, enquanto a turma estava no laboratório, o professor notou um jovem do intercâmbio que continuamente coçava as costas e se esticava como se elas doessem.

O professor perguntou ao jovem qual era o problema. O aluno respondeu que tinha uma bala alojada nas costas pois tinha sido alvejado enquanto lutava contra os comunistas de seu país nativo que estavam tentando derrubar seu governo e instalar um novo regime, um "outro mundo possível".

No meio da sua história ele olhou para o professor e fez uma estranha pergunta: "O senhor sabe como se capturam porcos selvagens?"

O professor achou que se tratava de uma piada e esperava uma resposta engraçada. O jovem disse que não era piada.

"Você captura porcos selvagens encontrando um lugar adequado na floresta e colocando algum milho no chão. Os porcos vêm todos os dias comer o milho gratuito. Quando eles se acostumam a vir todos os dias, você coloca uma cerca mas só em um lado. Quando eles se acostumam com a cerca, voltam a comer o milho e você coloca um outro lado da cerca. Mais uma vez eles se acostumam e voltam a comer. Você continua desse jeito até colocar os quatro lados da cerca em volta deles com uma porta no último lado. Os porcos que já se acostumaram ao milho fácil e às cercas, começam a vir sozinhos pela entrada. Você então fecha a porteira e captura o grupo todo."

"Assim, em um segundo, os porcos perdem sua liberdade. Eles ficam correndo e dando voltas dentro da cerca, mas já foram pegos. Logo, voltam a comer o milho fácil e gratuito. Eles ficaram tão acostumados que esqueceram como caçar na floresta, e por isso aceitam a servidão."

O jovem então disse ao professor que era exatamente isso que ele via acontecer no seu país. O governo ficava empurrando-os para o comunismo e o socialismo e espalhando o milho gratuito na forma de programas de auxílio de renda, bolsas isso e aquilo, impostos variados, estatutos de "proteção", cotas para estes e aqueles, subsídio para todo tipo de coisa, pagamentos para não plantar, programas de "bem-estar social", medicina e medicamentos "gratuitos", sempre e sempre novas leis, etc, tudo ao custo da perda contínua das liberdades, migalha a migalha.

Devemos sempre lembrar que "Não existe esse negócio de almoço grátis" e também que "não é possível alguém prestar um serviço mais barato do que seria se você mesmo o fizesse".

Finalmente, se você percebe que toda essa maravilhosa "ajuda" governamental é um problema que se opõe ao futuro da democracia, você vai espalhar esta mensagem para seus amigos. Mas se você acha que políticos e ongueiros pedem mais poder para para beneficiar *você* ou "os pobres" então você provavelmente não dará muita importância ao q leu, mas que Deus o ajude quando trancarem a porteira!

sábado, outubro 27, 2007

Roupas no ambiente de trabalho

-by Christian Pior

Barriga de fora

Neste caso, só é válido se você for dançarina do ventre ou do É o Tchan! (que nem existe mais, eu acho). Só que, como você não trabalha no meio musical e sim em uma multinacional (adoro este nome, acho poderoso), evite o modelo que evidencia além da conta. Por quê?


A. Todo mundo sabe que você tem umbigo. Mostrar para quê se não é nenhuma novidade? Acredite: o seu umbigo não é especial e nem essencial a humanidade.


B. Se você está fora de forma, com barriga de quem come "dobradinha", por favor criatura, tenha bom senso. Nada de exibir suas adiposidades para colegas e chefes na empresa, afinal é uma empresa muito chique, não um açougue.


C. Esse item também dá uma conotação de vulgaridade. Parece que você quer seduzir alguém o tempo todo, isso vale também para as magras com barriga tanque que adoram se auto afirmar com o corpo tipo "como de tudo e não engordo um grama". Ou aquelas com a antipática frase "Minha esteira é minha melhor amiga".


D. Barriga de fora com o umbigo exibindo piercing é crime!


Saias esvoaçantes, transparêcias e decote profundo


Pára tudo e chama a Nasa! Gente, como diria o filósofo (aquele que não sei o nome), "a vida não é um show de banda Calypso, você não entendeu?". Saias tipo "Sarajane" (joga no Google), transparências que "dão pra contar os seus poros" e decotes "que fazem com que os boys percam a pouca concentração que têm" são inimigos cruéis do bom gosto no local de trabalho.


Saias

A. Se usar saia curta ou esvoaçante, seus colegas masculinos podem até achar bonito e divertido, mas depois querida, você será jogada na fogueira das fofocas e será alvo de piadinhas na empresa. E isso arde, filha, a se arde! Seus talentos e competência não estão nas suas pernas e sim no cérebro, portanto, solte o assanhamento somente nas baladas, nos shows, com o homem amado...


B. Na empresa, acho chique meia calça (hoje tem de todos os tipos, mas não vá de arrastão, né) com saia até a altura dos joelhos.


Transparência nem na alma

Tem umas "perturbadas" que se deixar vão de baby-doll se sentindo "o último brownie da doceria de luxo", e na verdade são a "décima bolacha de água e sal no pacote de biscoitos na loja de R$ 1,99". E mulher muito oferecida desperta a raiva, a inveja, e o ódio de outras. E quando puxarem o seu persa, querida...


Decotes profundos e fendas

Gente, nem Jessica Rabbit usava aquilo 24 horas! Toda mulher quer se sentir linda, gostosa e tal, mas se você realmente for, naturalmente vão perceber. Sensualidade vem de dentro, não de fora. Depois, se um cliente avançar o sinal, quero ver a sua cara. Sabe por que querida? As roupas falam... Umas até berram!


O cofrinho

Tem mulheres que tem cofrinho e outras com um verdadeiro "carro forte". Em ambos os casos nada disso deve ser mostrado, até porque cofre que é cofre tem que ser guardado. O que você espera conseguir com o "cofrinho" aparecendo? Uma promoção, um aumento? Cuidado viu, colega... Às vezes você pensa que está "abafando", mas na verdade você é chacota de toda a firma. Tão mais chique um terninho de corte reto, impecável, com o blazer seco junto ao corpo... Além de alongar a silhueta ele é clássico e você pode ter um nas cores preto, azul marinho, creme, marrom brownie (para as loiras fica lindo).


Acessórios

Aí, no caso, você poderá ousar (pouco, viu?) nos acessórios. Em uma bolsa poderosa (nunca economize em uma bolsa), em um sapato alto poderoso, enfim... Pense nas vilãs de novela. Estão sempre impecáveis, menos a Nazareth, personagem brega vilã, de Renata Sorrah. Acessórios em excesso e barulhentos, brincos que brigam com os cabelos, colares imensos (cuidado com os dourados, viu? Poucas pessoas sabem usar), brincos de pena, bijuterias "bicho grilo", não, não e não! Brincos, sempre delicados. Um relógio poderoso, um pingente chique (os que têm seu nome gravado são "atitude"). Acessório é minimalista, tudo menos e se por acaso, você tiver uma jóia cheguei, opte menos por ela, sem misturar com mais nada. Acessórios são "o sol" do look, ou seja, pesou, dançou. Ah, echarpes e lenços são "buzuzus", mas tem que saber usar com classe e se sentir a vontade com elas. Acho lindo mulher com anel de aço. Poderoso, único. Pérolas são eternas e nunca fazem feio. Piercing só se você for Diretora de Arte de uma agência de publicidade, com direito a muitos leões ganhos em Cannes.


Sexta feira básica

O "à vontade" é um prato cheio para o povo cafona. Jeans rasgado, tênis de 1991, camiseta lascada que nem para dormir serve, mini-saia, enfim... Meninas, invistam em uma camiseta branca ou preta lisa, um jeans reto 501, um tênis tipo All Star. Fica tão lindo, mas que a camiseta seja nova, né?! O trio: jeans escuro com camiseta preta e tênis preto é tão lindo e emagrece, além de disfarçar a odiável barriguinha de chopp, tão comum nos rapazes. Aliás, porque eles se orgulham da barriguinha de chopp?


Meninas de Jeans 501, uma bata romântica com detalhes (adoro), um salto poderoso e um casaquinho seco para o fim do dia (sempre esfria, né?). Ah, bata muito transparente, não... E se os seus colegas de trabalho disserem que você está linda, mesmo assim, tome cuidado. Eles preferem as mulheres nuas, já que quanto menos roupa melhor! Eles amam decotes.


Experiência: Uma vez eu estava no metrô em Nova Iorque e vi uma menina com estampa do Snoopy, jeans seco reto preto, salto alto poderoso, bolsa tipo Balenciaga (joga no Google), óculos tipo Ray Ban, e rabo de cavalo. Na mão uma garrafinha de água mineral! Ovulei!


Piranha de cabelo

Aviso: Piranha de cabelo no cós da calça é a coisa mais feia do mundo.

Piranha no cós é a "pochete das mulheres". É feio, horroroso.


Maquiagem

Maquiagem pesada e acessórios além da conta. Você é uma drag queen? Ou um personagem da música da cantora Simone: "Então é natal"?


Gente, make up carregado é uma coisa séria. Tem mulheres que fazem uma verdadeira "pintura espírita" no rosto. Sombra que orna com a roupa, não. Glitter durante o dia, não. Gloss que escorre feito óleo na boca, não. Massa corrida, tipo, cara bem branca, com corretivo, base e muito pó, não. Sombra preta de dia, não. Batom com cores new wave (rosa cheguei com tudo, roxo tang uva e laranja dói meus olhos), não pode! Make up "vamp", tipo "hoje a noite vou usar cinta liga", também não. Acho chique um corretivo para disfarçar olheiras e espinhas, um pó leve para controlar a oleosidade e um batom cor de boca. E um blush talvez, bem leve, para dar um ar de saúde. Mas se carregar nos olhos, não carregue na boca e se carregar na boca, não carregue nos olhos. E se for linda de morrer nem precisa muito de make up, né?


Truques do Christian:

Soro fisiológico gelado na cara ao acordar, tudo de bom. Máscara caseira, por 20 minutos, de clara de ovo batido.

Passar a casca de mamão no rosto por 20 minutos e enxaguar depois não vá para o sol pelo amor de Deus.

Pingar um colírio de manhã te dá outro olhar, querida. Ao invés de gastar fortunas em um creme super caro, invista em um filtro solar poderoso com um fator acima de 30 para rostos, pescoço e mãos.

Dê muita risada porque trabalha a musculatura do rosto e, dizem, ainda trabalha o abdômen.


Balada

Balada é bom e eu gosto! Drinks super hiper mega coloridos também. E quem não curte um Happy Hour? Mas ir para a labuta vestida de balada, não baby! Você pode até ir direto, mas troque de roupa no fim do expediente, ou passe na casa de uma amiga que more próximo ao trabalho e troque lá. E se ela deixar, você toma um banho. Ou se troque no carro, ou no boteco (que é uma aventura), fora os assobios que você ganha no final. Se for direto, retoque o make up, coloque uns acessórios mais "fervidos", ponha um salto mais alto e saia rebolativa disposta a conquistar o mundo! Mas não vá de vestido de noite para o trabalho. Paetê, brilho, vestido curto e vaporoso. Vestido vermelho "danço tango", ou seja, roupa de noite é roupa de noite. O ideal mesmo é passar em casa, tomar um banho e se aprumar (olha no Aurélio) com calma.

E se não der, quem mandou morar longe?


Homens

Homens, homens, homens. Para homem tudo é tão fácil, né? E mesmo assim eles erram! Então serei curto como um café após um risoto de almoço, afinal, homens odeiam frescura... Mas eu adoro!


1. Terno preto é lindo, mas se você tem caspas, evite. Aliás, trate da caspa. Economize duas semanas de cerveja e dê um fim à seborréia.


2. Gravatas com bichinhos da Disney, não. Gravatas tipo "eu surfo", não. Gravatas com um tom só ou com listras discretas são as mais indicadas.


3. Sapato preto com meia branca, não. Aliás, sapato sempre com meias de tons escuros (preto, cinza, marrom escuro, azul marinho).


4. Cinto que orna com o sapato, ambos no "tom caramelo", não. Pelo amor de Deus e a todos os santos da Bahia, não!


5. Pochete é pena de morte com tortura chinesa. Pochete não, pochete não, pochete não... E para garantir: Pochete não!


6. Jeans rasgados, não. Tênis lascado, não. Boné, não. Tattoo a mostra, não. Piercing, só se for no fígado, onde ninguém vê, não. Barba pra fazer, não. Base na unha, não. Unha com restos de graxa (ecaaa), não, não e não!


7. Camisa de manga curta com gravata... Você acha que é o Nahin? (joga no Google). Cafona. Isso ficou no tempo das bandas anos 80.


8. Camisa aberta com correntinha de ouro pendurada, tipo "minha proteção", não. Não quero saber sua religião.


9. Por favor, desodorante sem cheiro para não brigar com o perfume, ou melhor, o desodorante e o perfume com a mesma fragrância. Adoro! E como o sabonete também e a colônia de barbear, acho um luxo! Nada de mostrar "os seus três meses de academia" naquela camiseta "baby-look".


Christian Pior

quinta-feira, outubro 25, 2007

Desculpas "esfarrapadas" Masculinas e/ou até Femininas...

Minha mãe passou mal
Como contestar contra um argumento tão forte? Eles adoram arrumar uma tragédia na família para cancelar o encontro em cima da hora.

Agora no momento não quero me envolver
O homem posa de frágil e diz sentir medo de mergulhar em uma nova paixão, porque têm algum tipo de trauma do relacionamento anterior. Entenda que ele simplesmente não quer nada a sério com você.

Vou viajar com urgência

Geralmente, ele associa esta mentira deslavada a uma urgência no trabalho. Quando ouvir esta desculpa, traduza: vou dar um sumiço de alguns dias.

Estou muito cansado hoje
Para tentar ser mais convincente, ele lista uma série de problemas ocorridos durante o exaustivo dia. Portanto, o sono o impedirá de encontrá-la. Saiba que esta é a estratégia usada quando ele está louquinho para ir à balada.

Vou jogar futebol com os amigos
Uma vez por semana, tudo bem. Mas quando os dias começam a aumentar para dois, três, quatro... É hora ficar alerta! O namorado pode estar querendo somente ficar um pouco sozinho, mas há também a possibilidade de ele ir à caça com os amigos.

Estou só olhando o movimento
Na balada, no shopping ou no restaurante ele não resiste e olha para aquele mulherão que acabou de passar. Você irritada com a situação, pergunta o que ele está olhando. E então: "Nada, só estou vendo o movimento".

Tem que me aceitar do jeito que sou
Tal argumento é infalível quando o homem quer terminar a relação e não sabe como. Então, ele lança mão do radicalismo. Como você, certamente, não vai se submeter a todas as vontades e manias dele, esta é uma boa saída para acabar com tudo.
E quando ele for grosso porque é autêntico,acredite minha amiga,ele é um "autêntico" idiota!

Além destas, há uma outra tática para ele deixá-la repentinamente. O namorado diz que você é 'tudo de bom' e por isso se sente inferiorizado ao seu lado.
"Felicidade é ter algo o que fazer, ter algo que amar e algo que esperar"
Aristóteles

quarta-feira, outubro 17, 2007

A passagem do virtual para o real



Para muitos, a passagem do virtual para o real é bastante dura.
Para outros, impossível.
Lembro-me dela, que não era ela, era ele.
Lembro-me dele que não tinha charme algum,embora fosse um verdadeiro Don Juan no virtual.
Sabia lidar muito bem com as palavras escritas.
Lembro-me de toda aquela falsa alegria que vários deixaram transparecer durante anos através das letras e que, no real, rolou ladeira abaixo.
Lembro-me de opções sexuais que não eram verdadeiras e de amizades que não foram sinceras.
Lembro-me daquela loura fatal, sexy, sensual que enviava sempre suas fotos causando frisson em muitos.
Trinta, trinta e cinco anos, talvez?
Não. Já era avó e beirava seus setenta anos.
As tais fotos eram de cerca de trinta anos atrás retocadas por photoshop.
Lembro-me de críticos literários.
Viviam de um sonho que possivelmente jamais concretizaram.
Lembro-me dos exaltados, ferozes, provocadores.
Verdadeiras ovelhinhas no real.Lembro-me de profissões virtuais.
Médicos, Advogados, Engenheiros.
Seres reais que sequer tiveram a oportunidade de passar na porta de uma faculdade.
Lembro-me dos donos da verdade virtuais, apenas virtuais.
No real, não tinham opinião a respeito de nada.
Perdiam-se dentro das suas próprias dúvidas.
Lembro-me dos intelectuais, vários, a maioria de porta de buteco.
Lembro-me de amores que jamais passaram para o real pois no virtual já eram impossíveis.
Se bem que necessários.
Lembro-me do caráter dos seres virtuais.Como distinguir os bons e os maus?
Ainda não existe em nenhum computador uma peça que se encaixe e faça uma luz vermelha ou verde piscar a cada e-mail que entrava na nossa caixa de correio nos dando a informação que precisamos.
Lembro-me dela que tomou ele da outra e dessa mesma outra que nunca foi dele.
Mas havia quem dissesse - Ele é meu! Ela é minha!No virtual, ninguém nunca foi de ninguém e quando chegaram ao real,poucos foram de alguém.
Lembro-me dos formadores de opinião e das vaquinhas de presépio.Lembro-me da unanimidade virtual, talvez a única coisa real.
Lembro-me de enigmas. É assim ou assado? É falso ou verdadeiro?
E lembro-me dos especialistas em enganar, trapacear, provocar.
Lembro-me dos ofendidos, feridos que sangravam virtualmente até não poder mais.
Lembro-me das doenças virtuais(?), das mortes(?), das fugas e dos sumiços.Seres que nem mesmo no virtual conseguiram sustentar seus personagens.
Lembro-me dos ódios e intrigas. Quem seria o vilão e a vítima?
Jamais saberei.
Lembro-me de mim, em meio a um tiroteio invisível e a um carinho duvidoso.
Lembro-me tão bem das carências excessivas que desabrochavam em palavras dolorosas.
Lembro-me da criança que era um adulto e do adulto que era uma criança.
Lembro-me da ofensa, da necessidade de denegrir a imagem de pessoas que incomodavam a outras pelo simples fato de se destacarem virtualmente.
Lembro-me, finalmente, que o virtual jamais conseguiu ser real e que o real vivia a anos luz do virtual.
Depois de lembrar-me de tudo isso chego a conclusão que apenas sei que nada sei sobre o mundo virtual, assim como ninguém sabe.

(Silvana Duboc)

"O estúpido não esquece e não perdoa. O ingênuo esquece e perdoa. O sábio perdoa, mas não esquece."

segunda-feira, outubro 15, 2007

"O IBAMA proíbe fazer bolsa com o couro de jacaré,
Mas nenhum órgão reprime a confecção de Bolsa Família com o couro da classe média!"

sábado, outubro 06, 2007

segunda-feira, outubro 01, 2007

Um Estudo....

Sexo
Todo homem gosta de sexo. Muito.
Se pudéssemos, passaríamos o dia trepando.

Mulheres gostam de fazer amor.
Homens trepam. É nossa herança dos macacos. Paramos de subir em árvores, mas no sexo, ainda batemos no peito e descascamos bananas (desculpem a metáfora grosseira!)

Preliminares
Por que os homens são afobados para transar?
Por que temem que o pênis não suporte as preliminares e acabe fazendo os dois passarem vergonha? Talvez.

No começo da relação, são gentis e pacientes:
"Quer parar pra botar o diafragma? Tudo bem, querida".
"Quer que eu beije mais suas costas? Claro, meu amor."

Mas quando a intimidade chegar, ele vai se comportar na cama como se estivesse na festa do peão de boiadeiro! Se seu parceiro um dia gritar: "Segura, peão!", não se espante.

Gozar juntinho
Não exija demais que ele goze com você.
Os homens não têm tanto controle sobre o pênis quanto aparentam ter.
Aquilo ali tem uma espécie de administração própria. Recebe ordens da matriz, mas às vezes a coisa vira bagunça.

Já reparou quando seu parceiro acorda com uma pequena tenda de camping armada no meio das pernas? Acredite, ele não planejou aquilo. Apenas aconteceu.

Se, no meio da transa, seu parceiro fizer uma cara de quem está longe, não se chateie. Não é nada pessoal. Ele deve estar tentando lembrar a escalação da seleção tetracampeã de 1994.

Os homens fazem esse tipo de coisa para controlar o orgasmo. Controlar, não, frear. Já disse que a "coisa" tem vida própria.
Lembrar dos afluentes do Rio Amazonas também funciona.

O pé de mesa
Todo homem acha que tem o pênis maior do mundo. Nunca, jamais, duvide disso.
E em hipótese alguma conte para ele que já esteve com alguém mais bem-dotado.

Todo homem tem muito orgulho do próprio pinto. Mesmo que seja uma Bic Escrita Fina, minta. Diga: "Oh, meu deus, que coisa enorme!" É banal, soa a vídeo pornô, mas todos levam a sério quando as mulheres dizem essas besteiras.

Filhos
Ainda não inventaram nada melhor pro papel de pai do que homem. De preferência, o que fez a criança.

Mas às vezes a mulher não faz idéia por onde o sujeito anda. E aí tem que improvisar. Até mulher já tentaram botar no lugar, mas não dá muito certo. E o mais curioso é que o talento dos homens para exercer sua função paterna, excluindo raríssimas exceções, é nenhum.

Pai que troca fralda com prazer ou acorda de noite para esquentar mamadeira sem xingar ninguém está precisando de ajuda psiquiátrica. Nem mãe gosta de fazer essas coisas. Pelo menos as normais, não.

Freud
Não é fácil ser pai.
A criança fica nove meses dentro da mãe e, quando nasce, um fica agarrado no outro. Parecem coalas. Ficam tentando reverter o que não tem mais jeito.

Algum espírito de porco já cortou o cordão que os mantinha ligados. Freud dizia que esse papel é do pai(*).

Além de ameaçar a mulher e o filho com a tesoura, os homens têm que cumprir seu papel de provedor. Nada a ver com a Internet. Esse papel não é tão moderno assim. É do tempo das cavernas.

As mulheres cuidam da prole e do fogo, enquanto os homens vão até um supermercado comprar um filé de dinossauro pro jantar. É óbvio que isso já mudou bastante, que as mulheres trabalham e se sustentam com seus salários menores do que os dos homens.

Mas não existe nada mais importante no mundo do que o trabalho para um homem. Se algum te disse que você era a coisa mais importante do mundo, desculpa, mas ele estava mentindo.

(*) Parece que Freud disse que lavar a louça no fim de semana é um dever do pai também, mas há controvérsias sobre essa afirmação.
Há quem garanta que ele nunca disse isso.
A mulher dele teria imitado sua letra quando Freud abandonou seus escritos pra ir ao banheiro.


Trabalho
Homens vivem para o trabalho.
Fins de semana são os dias que ficam entre uma semana de trabalho e outra.

Férias é aquele período em que a mulher reclama que ele não consegue relaxar.

Mulher é aquela pessoa para quem o homem conta todo dia os mesmos problemas que ele anda enfrentando há anos no trabalho.

Casa é o lugar que os colegas do trabalho ligam quando não o acham no escritório.

Secretária
Um conselho: nunca deixe seu marido ter uma secretária bonita!
Mas nem pensar. Já basta atender telefone, anotar recados, avisar a hora das reuniões e trazer cafezinho na mesa.

E o que é pior, no final do dia, nunca é ela que está na sua casa, com os filhos, esperando ele chegar pra dividir os problemas da empregada ou do cachorro que mordeu um vizinho. Não facilite.

Se seu companheiro quiser uma secretária, mande ele contratar uma bruxa. Se for preciso, faça você mesma o teste.

Dê à candidata uma vassoura. Se ela sair voando, está contratada.


Mãe
Só existe uma inimiga maior que a secretária bonita: a mãe dele.

Poderia chamar de sogra, mas estaria excluindo as solteiras.

Para os homens, a mãe é sagrada. Pode ser uma jararaca, mas ele vai sempre se referir a ela como se fosse um clone da Virgem Maria. Lembra quando você a conheceu, o primeiro encontro? Você não teve a sensação de que ela estava te tratando como uma ladra de filhos? Mas depois as coisas se acalmaram, não foi? Ingenuidade sua. A jararaca só está esperando o momento pra dar o próximo bote.

A família dele
Família é foda. Principalmente a dele.

Não existe nada pior do que almoço na casa da sogra. Quando estiver voltando pra casa, mesmo que ele reclame de todo mundo, não tenha poupado nem o cachorro, jamais faça qualquer crítica à família dele. Ele pode sair da casa da mãe querendo esganar um irmão ou esfolar a própria, mas não caia nessa armadilha. Fuja da tentação de fuzilar os parentes dele.

São uns animais. Merecem isso. Mas esqueça! Faça comentários banais sobre a sobremesa ou diga algumas besteiras. Se quiser falar mal de alguém, ataque um cunhado que estava lá também. Cunhado não é parente.

Unha do pé
Por que os homens não cortam a unha do pé? Porque são porcos.
Todo homem é porco. Pelo menos do calcanhar para baixo. Alguns, mais grotescos, usam o trânsito parado para tirar meleca. Pode estar num carro maravilhoso, bem-vestido, bonitão, mas o dedo está lá, prospectando melecas!

Careca
Homens não ficam carecas. Nunca diga que seu homem está ficando careca. Homens detestam ficar carecas. Se alguém comentar a queda descontrolada de cabelos do seu marido, defenda-o. Diga que ele não é careca, a testa dele é que é grande!

Conclusão
Não chegamos a nenhuma.
Ninguém vai conseguir decifrar os mistérios da alma masculina. Mas esperamos ter ajudado um pouco na compreensão desse ser rude e boçal chamado "homem".

Um último conselho: não diga para seu marido ou namorado que você passou a entendê-lo melhor depois que leu nossa pesquisa.

Todo homem é ciumento. Os que dizem que não são, além de ciumentos, são mentirosos.

Homem nenhum gosta que a mulher descubra alguma coisa com outro homem.

domingo, setembro 30, 2007

Boneca de Crochê

Um homem e uma mulher estavam casados por mais de 60 anos. Eles tinham compartilhado tudo um com o outro. Eles tinham conversado sobre tudo.

Eles não tinham segredo entre eles afora uma caixa de sapato que a mulher guardava em cima de um armário e tinha avisado ao marido que nunca abrisse aquela caixa e nem perguntasse o que havia nela.

Assim por todos aqueles anos ele nunca nem pensou sobre o que estaria naquela caixa de sapato. Mas um dia a velhinha ficou muito doente e o médico falou que ela não sobreviveria. Visto isso o velhinho tirou a caixa de cima do armário e a levou pra perto da cama da mulher. Ela concordou que era a hora dele saber o que havia naquela caixa. Quando ele abriu a tal caixa, viu 2 bonecas de crochê e um pacote de dinheiro que totalizava 95 mil dólares.

Ele perguntou a ela o que aquilo significava, ela explicou;
- Quando nós nos casamos minha avó me disse que o segredo de
um casamento feliz é nunca argumentar/brigar por nada. E se alguma
vez eu ficasse com raiva de você que eu ficasse quieta e fizesse uma
boneca de crochê.

O velhinho ficou tão emocionado que teve que conter as lágrimas enquanto pensava "Somente 2 bonecas preciosas estavam na caixa. Ela ficou com raiva de mim somente 2 vezes por todos esses anos de vida e amor."

- Querida!!! - ele falou - Você me explicou sobre as
bonecas, mas e esse dinheiro todo de onde veio?

- Ah!!! - ela disse - Esse é o dinheiro que eu fiz com a
venda das bonecas.

PRECE

Querido Senhor, eu rezo para adquirir sabedoria para entender meu homem,
amor para perdoá-lo e paciência para agüentar seu mau humor.
Sim, Senhor porque se eu rezar pra pedir forças, eu o mato de tanto bater,
porque eu não sei fazer crochê!!!!

quarta-feira, setembro 26, 2007

"O Que você vai fazer hoje é muito importante. Faça com sensatez, honestidade e dedicação, porque você estará trocando um dia de sua vida por isso."

terça-feira, setembro 25, 2007

Receita Médica!



Um jovem que acabara de se formar em medicina, ganha de seu pai um carro importado, último modelo, e resolve dar um passeio.
Quando se deu conta, percebeu que estava sem combustível. Entrou num
Vilarejo e dirigiu-se a um posto de gasolina para abastecer o carro.
Não viu uma viva alma no posto e, apesar de buzinar várias vezes, ninguém
Vinha atendê-lo. Finalmente apareceu um rapazinho que lhe disse: - Não
Adianta buzinar, porque o posto está fechado; a filha do dono morreu ontem e todos estão no velório.
O jovem médico pensa uns segundos e chega à seguinte conclusão: Se não posso prosseguir e não sei a que horas irão retornar, vou até ao velório também, já que não posso fazer mais nada.
Lá chegando, aproxima-se do caixão por mera curiosidade, e de repente,
Observa algo extremamente raro.
Chama o pai da 'falecida' e diz-lhe:
- Olhe, sou médico, a sua filha não está morta, está em estado catatônico;
Parece morta, mas não, está viva..
O pai, nervosíssimo, pergunta:
- O Sr. Pode fazer alguma coisa?
O jovem médico, explica-lhe que há uma possibilidade, embora remota, de
Traze-la à vida. Para isso, teriam que submetê-la a uma sensação muito
Forte.
Pergunta então ao pai: - A sua filha tinha namorado?
Embora estranhando a pergunta, o pai respondeu sim, e que ele se encontrava presente.
- Bem, disse o jovem médico, então tirem o corpo do caixão, levem-no para uma cama junto com o namorado e deixem que eles façam sexo durante toda à noite.
Ainda que com algumas reservas, o pai dá ordens para que seja feito tudo o que o doutor disse, mas pede para que ele fique, a fim de comprovar o
'resultado'.
Passadas quatro horas abre-se a porta do quarto e, como por um Milagre, a moça aparece vivinha da Silva!
Foi uma grande alegria para todos, que logo programam uma festa e convidam o jovem doutor. Este se desculpa, alegando que tem de ir visitar um Familiar que se encontra doente, mas promete passar pela aldeia na viagem de Regresso. Tanque cheio, o médico volta para casa.
Passados 15 dias ele decide regressar e cumprir o que prometera, passar pela aldeia para ver como estava a jovem ex-defunta.
Ao chegar ao posto, repete-se a mesma cena de antes. Ninguém para atendê-lo. Depois de muito buzinar, aparece o mesmo rapaz, que desta vez estava ali tomando conta do negócio.
Assim que reconheceu o doutor o jovem corre desesperado ao seu encontro e lhe diz:
- Graças a Deus que o senhor voltou! Não sabíamos como encontrá-lo e
estávamos a sua espera! O Sr. Engrácio, pai da menina que o senhor salvou, morreu há 10 dias! Metade da aldeia já comeu o rabo do pobre Engrácio, mas ele continua sem ressuscitar!

MORAL DA HISTÓRIA:

O MESMO MEDICAMENTO NÃO SERVE PARA TODOS!
Não se automedique, nem aconselhe medicamentos a ninguém.
Procure um médico.

quinta-feira, setembro 20, 2007

Hino do Internauta Doidão!

Cante com a mão no mouse...afinal é nosso hino...

HINO DO INTERNAUTA DOIDÃO (Usando-se o ritmo do Hino Nacional Brasileiro!)

O vírus dos pilantras às mouses plácidas
De um ponto.com um browser retumbante
E o uol da liberdade em disco rígido
Brilhou no excell da página nesse scanner
Se open Word deu invalid
Conseguimos formatar no Macintosh
Enter save, ó megabyte,
Desafio o nosso site à própria soft
Ó dábliu-dábliu-dábliu atalho, cyber! cyber!
Brasil, um povo on line, honrai os links,
De amor e de esperança download desce
E em teu formoso excell risonho e windows
A imagem do e-mail à tela address
Gigabyte pela própria netscape
És belo, és forte até quando és moroso
E o teu cursor speedy essa tua senha,
Tecla adorada,
Entre outras news, eu imprimi,
Ó pasta amada,
Dos Zip deste Bol esc mãe Pentium
Fax modem, Brasil!

Evite ser traído - Arnaldo Jabor



Para as mulheres, uma verdade! (Para os homens, a realidade).
Você deve estar perguntando porque eu gastaria meu precioso tempo falando
sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me
chamando a atenção já há tempos.

Mas o que seria uma "mulher moderna"?

A principio seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde (e nem
tem) tempo com / para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o
trabalho engrandece, que é independente sentimentalmente dos outros, que é
corajosa, companheira, confidente, amante... É aquela que às vezes tem uma
crise súbita de ciúmes mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que está
errada e de correr pros seus braços... É aquela que consegue ao mesmo tempo
ser forte e meiga, desarrumada e linda... Enfim, a mulher moderna é aquela
que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que
pensa e o que sente, doa a quem doer...

Assim, após um processo "investigatório" junto a essas "mulheres modernas"
pude constatar o pior.
VOCÊ SERÁ (OU É???) "corno", ao menos que:
- Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura . Antigamente elas
choravam.Hoje elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.
- Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios" . Ela tem de saber da sua
boca o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar
às conseqüências expostas acima.
- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol) mais do que duas vezes por semana, três vezes então, é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto, elas são
categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença
masculina". Se não for a sua meu amigo...

Bem...

- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra
aquele ex bom de cama é grandessíssimo.
- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As "mulheres
modernas" têm um pique absurdo em relação ao sexo e, principalmente dos 30
aos 42 anos, elas pensam, e querem fazer sexo TODOS OS DIAS (pasmem, mas a
pura verdade)... Bom, nem precisa dizer que se não for com você...
- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Seja
muito carinhoso, sempre.
Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem
são peritos em levar uma mulher às nuvens.Então, leve-a você, afinal, ela é
sua ou não é ????
- Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher
insegura é uma máquina colocadora de chifres .
- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar do fato de você estar saindo com
outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo a um "chifre" tão
estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO
MAIS "comedor" do que você... só que o prato principal, bem... dessa vez é
a SUA mulher.
- Sabe aquele bonitão que você sabe que sairia com a sua mulher a qualquer
hora? Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela,
só por um segundo, achar que você merece... Quando você reparar... já foi.
- Tente estar menos "cansado ". A "mulher moderna" também trabalhou o dia
inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de
antigamente - "dar uma", para depois, virar de lado e simplesmente dormir.
- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou
telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de é
sentir falta disso então imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta
dessas coisas ... senão...

Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá
assistência, abre concorrência e perde a preferência".

Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem
plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos
de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas "mancadas".. .
Proteja-a, ame-a, e principalmente, faça-a saber disso. Ela vai pensar
milhões de vezes antes de dar bola pra aquele "bonitão" que vive enchendo-a
de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!!!
"Quem não se dedica, se complica."
Como diz uma amiga: MULHER NÃO TRAI, APENAS SE VINGA

segunda-feira, setembro 17, 2007

Nada



Nada é o vazio
Que habita na alma
De cada um.

Enquanto cada ser
Não buscar sua estima
O nada estará presente.

Somente a mudança
Poderá afugentar o
Nada da alma.

A grande caminhada
Requer reforma, mude
E conquiste a vida sem o nada.

Nada em vossas vidas,
É vida sem rumo
É abandono de corpo

É corpo sem alma
É alma sem brilho
É nada.


(Paulo Mello)

quinta-feira, setembro 13, 2007

As rãs



Um fazendeiro veio até a cidade e perguntou ao proprietário de um restaurante se ele queria ganhar um milhão de rãs.

O proprietário do restaurante ficou assustado e perguntou ao homem onde ele poderia conseguir tantas rãs!

O fazendeiro respondeu,
- Há uma lagoa perto de minha casa que está cheia de rãs - milhões delas. Todas coaxando por toda a noite e estão a ponto de me deixar louco!

Então o proprietário do restaurante e o fazendeiro fizeram um acordo: o fazendeiro entregaria as rãs no restaurante, quinhentas de cada vez pelas semanas seguintes.

Na primeira semana, o fazendeiro retornou ao restaurante parecendo particularmente encabulado, com duas pequenas e mirradas rãs. O proprietário do restaurante perguntou,
- Onde estão todas as rãs?

O fazendeiro respondeu,
- Eu me enganei. Haviam somente estas duas rãs na lagoa. Mas elas faziam muito barulho!!!

Da próxima vez que você ouvir alguém criticando ou gozando alguém, lembre-se que provavelmente é apenas um par de ruidosas rãs.

Lembre-se também que os problemas parecem sempre muito maiores no escuro.

Você tem se deitado à noite, preocupado com coisas que parecem oprimir como um milhão de rãs coaxando?

As coisas serão muito mais bonitas quando a manhã chegar, e se você olhar mais de perto, você se espantará com a tempestade feita em um copo d'água.


Conto chinês

terça-feira, setembro 11, 2007

Terapia Ortomolecular



1. DIFICULDADE DE PERDER PESO.
O QUE ESTÁ FALTANDO : ácidos graxos essenciais e vitamina A.

ONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos

2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS.
O QUE ESTÁ FALTANDO : na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER: água de coco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro e os suplementos

3. COMPULSÃO A DOCES.
O QUE ESTÁ FALTANDO : cromo
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre, cenoura + suplementos.

4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA.
O QUE ESTÁ FALTANDO : potássio e magnésio.
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja

5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL
O QUE ESTÁ FALTANDO : lactobacilos vivos.
ONDE OBTER : coalhada, iogurte, missô, yakult e similares

6. MEMÓRIA RUIM.
O QUE ESTÁ FALTANDO : acetil colina, inositol.
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo + suplementos

7. HIPOTIREOIDISMO. (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO : iodo.
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada, e sal marinho .

8. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS.
O QUE ESTÁ FALTANDO : colágeno.
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras, gelatina + suplementos

9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR.
O QUE ESTÁ FALTANDO : vitaminas A, C, e E e ferro.
ONDE OBTER: verduras, frutas, carnes magras e suplementos

10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS .
O QUE ESTÁ FALTANDO : Ômega 3 e 6
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite de oliva

Cozinhe a seu favor...
Na medicina ortomolecular, a forma de cozinhar e até os utensílios utilizados ajudam a preservar os nutrientes.

Evite a ingestão de queijos e carnes gordas e frituras. A gordura acelera o processo de oxidação dos alimentos.

Cozinhe os alimentos no vapor ou até 100º, pois muito calor também oxida os alimentos. Evite utensílios de alumínio; os resíduos desse metal são tóxicos e podem ficar na comida. Preferir panelas de vidro ou antiaderentes. Em hipótese alguma, aqueça os seus alimentos em embalagens e recipientes de plástico no microondas.
"Custa tanto ser uma pessoa plena, que muito poucos são aqueles que têm a coragem de pagar o preço...
É preciso abandonar por completo a busca da segurança e correr o risco de viver com os dois braços.
É preciso abraçar o mundo como um amante.
É preciso aceitar a dor como condição de existência.
É preciso cortejar a dúvida e a escuridão como preço do conhecimento.
É preciso ter vontade obstinada no conflito, mas também uma capacidade de aceitação total de cada conseqüência do viver e do morrer."

(Morris L. West)

Vou Voar

Quero pousar em outros braços,
Descobrir a cor do infinito, onde a lua não se esconde,
Onde as nuvens passam baixo,
Onde cada estrela é uma estrela guia,
E onde os homens choram sem se esconder...
Vou voar,
Nessa noite onde a insônia vem me torturar,
Eu te busco e não te encontro,
Eu te quero e me desespero, por não te achar,
As mãos vazias não encontram teu corpo,
Nem o teu cheiro está mais aqui...
Preciso voar...
Vou sair na noite que parece não ter fim,
Procurando uma alma sedenta,
Ansiosa como eu por compreensão,
Para sentarmos juntos naquela pedra,
Aquela diante do mar, onde os casais sonham,
E juntos, somaremos nossos sonhos,
E poderemos finalmente,
Voar pelos caminhos iluminados do amor.
Vamos voar?

(Autor: Paulo Roberto Gaefke)

quinta-feira, setembro 06, 2007

Nunca digas adiós, si todavía quieres tratar. Nunca te des por vencido si sientes que puedes seguir luchando. Nunca le digas a una persona que ya no la amas, si no puedes dejarla ir. El amor llega a aquel que espera, aunque lo hayan decepcionado; a aquel que aun cree, aunque haya sido traicionado: a aquel que todavía necesite amar, aunque antes haya sido lastimado y aquel que tiene coraje y la fe para construir la confianza de nuevo...
Madre Teresa de Calcuta

sábado, agosto 25, 2007

Keep moving on


Sem palavras!

Não à Violência - O amor pode curar o Mundo.


O Dr. Arun Gandhi,
neto de Mahatma Gandhi e fundador do MK Gandhi Institute,
em palestra proferida em junho
de 2002 na Universidade de Porto Rico:

'Eu tinha 16 anos e vivia com meus pais, na instituição que meu avô havia
fundado, e que ficava a 18 milhas da cidade de Durban, na África do Sul.

Vivíamos no interior, em meio aos canaviais, e não tínhamos vizinhos, por
isso minhas irmãs e eu sempre ficávamos entusiasmados com a possibilidade de
ir até a cidade para visitar os amigos ou ir ao cinema.

Certo dia meu pai pediu-me que o levasse até a cidade, onde participaria de
uma conferência durante o dia todo. Eu fiquei radiante com esta
oportunidade.
Como íamos até a cidade, minha mãe me deu uma lista de coisas que precisava
do supermercado e, como passaríamos o dia todo, meu pai me
pediu que tratasse de alguns assuntos pendentes, como levar o carro à
oficina.

Quando me despedi de meu pai ele me disse:

'Nos vemos aqui, às 17 horas, e voltaremos para casa juntos'.

Depois de cumprir todas as tarefas, fui até o cinema mais próximo.

Distraí-me tanto com o filme (um filme duplo de John Wayne) que esqueci da
hora.

Quando me dei conta eram 17h30. Corri até a oficina, peguei o carro e
apressei-me a buscar meu pai. Eram quase 6 horas.

Ele me perguntou ansioso:

'Porque chegou tão tarde?'

Eu me sentia mal pelo ocorrido, e não tive coragem de dizer que estava vendo
um filme de John Wayne. Então, lhe disse que o carro não ficara pronto, e
que
tivera que esperar. O que eu não sabia era que ele já havia telefonado
para a oficina. Ao perceber que eu estava mentindo, disse-me:

'Algo não está certo no modo como o tenho criado, porque você não teve a
coragem de me dizer a verdade. Vou refletir sobre o que fiz de errado a
você.

Caminharei as 18 milhas até nossa casa para pensar sobre isso'.

Assim, vestido em suas melhores roupas e calçando sapatos elegantes, começou
a caminhar para casa pela estrada de terra sem iluminação. Não
pude deixá-lo sozinho...Guiei por 5 horas e meia atrás dele...Vendo meu pai
sofrer por causa de uma mentira estúpida que eu havia dito.

Decidi ali mesmo que nunca mais mentiria.

Muitas vezes me lembro deste episódio e penso: 'Se ele tivesse me castigado
da maneira como nós castigamos nossos filhos, será que teria aprendido a
lição?

'Não, não creio. Teria sofrido o castigo e continuaria fazendo o mesmo. Mas
esta ação não-violenta foi tão forte que ficou impressa na memória como se
fosse ontem'.

Autonomia = Livre Arbítrio


Conta um escritor que certo dia acompanhou um amigo até à banca de jornais onde este costumava comprar o seu exemplar diariamente.

Ao se aproximarem do balcão, seu amigo cumprimentou amavelmente o jornaleiro e como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro.

O amigo pegou o jornal, que foi jogado em sua direção, sorriu, agradeceu e desejou um bom final de semana ao jornaleiro.

Quando ambos caminhavam pela rua, o escritor perguntou ao seu amigo:

- Ele sempre o trata assim, com tanta grosseria?

- Sim, respondeu o rapaz. Infelizmente é sempre assim.

- E você é sempre tão polido e amigável com ele? Perguntou novamente o escritor.

- Sim, eu sou, respondeu prontamente seu amigo.

- E por que você é educado, se ele é tão grosseiro e inamistoso com você?

- Ora, respondeu o jovem, por que não quero que ele decida como eu devo ser.

.........................................................

E você, como costuma se comportar diante de pessoas rudes e deseducadas?

Importante questão esta, que nos oferece oportunidade de refletir sobre a nossa maneira de ser, nas mais variadas situações do dia-a-dia.

É comum as pessoas justificarem suas ações grosseiras com o comportamento dos outros, mas essa é uma atitude bastante imatura e incoerente.

Primeiro, porque, se reprovamos nos outros a falta de educação, temos a obrigação de agir de forma diferente, ou então somos iguais e de nada temos que reclamar.

E se já temos a autonomia para nos comportar educadamente, sem nos fazer espelho de pessoas mal-humoradas deveremos ter, igualmente, a grandeza de alma para desculpar e exemplificar a forma correta de tratar os outros.

Se o nosso comportamento, a nossa educação, depende da forma com que somos tratados, então não temos autonomia, independência, liberdade intelectual nem moral para nos conduzir por nós mesmos.

Quando agimos com cortesia e amabilidade diante de pessoas agressivas ou deseducadas, como fez o rapaz com o jornaleiro, estaremos fazendo a nossa parte para a construção de uma sociedade mais harmoniosa e mais feliz.

O que geralmente acontece, é que costumamos refletir os atos das pessoas com as quais vivemos, sem nos dar conta de que acabamos fazendo exatamente o que tanto criticamos nos outros.

Se as pessoas nos tratam com aspereza, com grosseria ou falta de educação, estão nos mostrando o que têm para oferecer. Mas nós não precisamos agir da mesma forma, se temos uma outra face da realidade para mostrar.

Assim, lembremos sempre que, quando uma pessoa nos ofende ou maltrata, o problema é dela, mas quando nós é que ofendemos ou maltratamos, o problema é nosso.

Por isso, é sempre recomendável uma ação coerente avalizada pelo bom senso, ao invés de uma reação impensada que poderá trazer consigo grande soma de dissabores.

Pense nisso!

Se lhe oferecem grosseria, faça diferente: seja cortês.

Se lhe tratam com aspereza, responda com amabilidade.

Se lhe dão indiferença, doe atenção.

Se lhe ofertam mau humor, retribua com gentileza.

Se lhe tratam com rancor, responda com ternura.

Se lhe presenteiam com o ódio, anule-o com o amor.

Agindo assim você será realmente grande, pois quanto mais alguém se aproxima da perfeição, menos a exige dos outros.




www.momento.com.br, com base em história de John Powell.

Lótus Dourado - Curiosidade

Ao longo da História, várias foram as culturas que optaram por exagerar
diversas partes do corpo. Na China, era costume forçar a natureza,
exagerando a pequenez do pé feminino.

Os pés das mulheres eram enfaixados, um processo extremamente doloroso que começava na infância. As mães exigiam que as filhas, a partir dos sete anos, envolvessem os pés minúsculos numa ligadura especial, com 5 centímetros de largura e 3 metros de
comprimento, que obrigava os dedos menores a encaracolarem-se para trás e para baixo, deixando livre apenas o dedo grande.

À medida que a ligadura ia sendo apertada, a sola do pé aproximava-se cada vez mais do calcanhar. Depois de vários anos deste tratamento, o pé ficava deformado
para sempre, comprimido e atrofiado, quase como um pequeno casco.

Os pés cabiam então nos pequenos sapatos requintadamente bordados, apenas com
alguns centímetros de comprimento, que eram confeccionados para as senhoras da alta sociedade.

O pé pequeno semelhante a um casco, chamado Lótus Dourado, era
considerado o máximo da beleza erótica pelos homens chineses. Enquanto
faziam amor,eles acariciavam o Lótus Dourado, chupavam-no, ardiscavam-no e chegavam a
enfiá-lo totalmente na boca, O pé tornava-se o núcleo do desejo erótico.

Como as mulheres têm os pés menores que os homens, o exagero dessa
diferença traduzia-se num excesso de feminilidade para a mulher. Só as
camponesas é que tinham os pés achatados, ou "pés de pato", como lhes
chamavam com sarcasmo. (E não é de admirar que a história da Cinderela -
cujas irmãs, muito feias, não conseguiram enfiar os pés enormes no
minúsculo sapatinho - seja de origem chinesa.)

O hábito chinês dos pés enfaixados durou quase um milênio, desde o século
X até ao início do século XX, quando foi finalmente suprimido, devido à
sua crueldade. O fato de ter subsistido durante tanto tempo deve-se à
sua dupla importância: o pé não só era uma zona erótica, como era um
símbolo de um estatuto social elevado.

As mulheres que tinham os pés enfaixados não podiam executar trabalhos manuais. Ter um par de Lótus Dourados equivalia a uma vida inteira de reclusão palaciana, de inatividade forçada e de fidelidade.













Você sabia??? WD-40



WD-40, quem diria?
Eu tive um vizinho que comprou uma pickup nova. Num domingo de manha cedo eu vi que alguém tinha pixado as laterais da sua pickup com tinta vermelha (por algum motivo desconhecido). Eu bati, o acordei e dei a má notícia. Ele ficou muito irritado e tentava imaginar o que fazer – provavelmente nada até Segunda-Feira, visto que estava tudo fechado. Um outro vizinho apareceu e disse para pegar o WD-40 e limpar aquilo. O produto removeu a tinta de maneira incrível, sem danificar a pintura do carro. Eu fiquei impressionado – WD-40, quem diria…

Repelente de Água número 40. O produto se originou da pesquisa por um protetor contra ferrugem e desengraxante para proteger peças de mísseis. O WD-40 foi criado em 1953 por três técnicos da San Diego Rocket Chemical company. O nome vem do projeto, que tinha por objetivo deselvolver um composto para repelir água (Warter dosplacement). Eles tiveram sucesso com a quadragésima fórmula, portanto WD-40. A Corvair Compan adquiriu o compost a granel para proteger os componentes dos mísseis Atlas. Ken East (um dos fundadores) disse que não há nada no WD-40 que sejá prejudicial às pessoas.
Quando você ler a parte sobre porta de box de banheiro, experimente. É a primeira coisa que funcionou para remover manchas da porta do box. Se o seu for plástico, funciona do mesmo jeito de com vidro. É um milagre! Tente no fogão… voilá! Vai brilhar como nunca. Você vai ficar maravilhado(a)

Seguem alguns usos:

1)Protege prata de ficar preta
2) Remove pixe e asfalto da pintura do carro
3) limpa e lubrifica cordas de guitarra
4) Dá um brilho ao piso como se tivesse sido recém encerado, sem deixá-lo escorregadio
5) repele moscas de vacas
6) limpa e restaura quadros-negros
7) remove manchas de batom
8) desengripa zípers
9) desenbaraça correntes e bijuterias
10) remove manchas de pias de inox
11) remove sujeira e gordura de grelhas e churrasqueiras
12) evita que vasos de cerâmica se oxidem
13) remove manchas de tomate de roupas
14) limpa manchas de portas de box de banheiro
15) Disfarça riscos e arranhões de pisos de cerâmica e mármore
16) mantém tesouras em bom funcionamento
17) lubrifica dobradiças barulhentas em carros e em casa
18) Remove marcas de sola de sapato do piso da cozinha. Não estraga o piso e a remoção é fácil. Lembre-se de abrir as janelas caso haja muitas marcas a serem retiradas
19) Restos de insetos estragama pintura do carrose não forem removidos logo. Use WD-40!
20) Serve para lubrificar escorregadores no play ground para se escorregar mais rápido
21) Lubrifica a tansmissão e controles em cortadores de grama
22) elimina rangidos e barulhos de balanços
23) lubrifica os trilhos da janela e faz com que fiquem mais fácil de abrir
24) aplicado na haste do guarda chuva facilita abrir e fechar
25) restaura e limpa painés e superfícies de couro em carros, bem como para-choques plásticos
26) restaura e limpa bagageiros em veículos
27) lubrifica e elimina ruidos em ventiladores elétricos
28) Lubrifica rodas e catracas em triciclos e bicicletas
29) lubrifica correias em lavadoras e secadores e evita ruidos
30) protege serras e serrotes contra ferrugem
31) remove gordura de fornos
32) evita que espelhos de banheiros fiquem embaçados
33) lubrifica próteses
34) repelente de pombos (eles odeiam o cheiro)
35) remove restos de duct tape
36) Algumas pessoas aplicam nas mãos, braços e joelhos para aliviar dores de artrite
37) uso favorito na Florida: removedor de insetos da frente do carro
38) uso favorito em Nova York: WD-40 protégé a Estátua da Liberdade do tempo
39) WD-40 atrai peixes. Applique UM POUCO nas iscas vivas e logo você vai pegar aquele bem grande. Muito mais barato que os produtos feitos para esse fim
40) Use para picadas de formiga. Elimina o ardido imediatamente e faz parar de coçar
41) WD-40 é ótimo para remover giz de cera de paredas. Aplique no local e limpe com um pano limpo
42) Se alguém lavar um batom junto com as roupas, aplique WD-40 nas manchas e lave novamente.
43) Se o carro não pegar pois o distribuidor estiver molhado, appliqué WD-40 na tampa do distibuidor e o carro deve fuincionar
P.S. O ingrediente básico é óleo de peixe
P.P.S. Mantenha uma lata de WD-40 no armário da cozinha. É bom para queimaduras. Elimina a sensação de queimado e não deixa cicatriz