sábado, julho 16, 2011

Ontem foi o dia dos homens né?! Aí vai o meu bom dia e os parabenizo pelo seu dia :

"Parabéns a todos os homens que tem atitudes de homem. Os marmanjos com atitudes de moleque que aguardem o DIA DAS CRIANÇAS!!!"

Que a vida não seja apenas uma sucessão de dias, meses e anos..
Que ela seja marcada com lutas, amores, conquistas e felicidade!
Lutas, que nem sempre são vitoriosas, que possamos aprender muito com cada erro,cada queda e com todos os nossos acertos.
Amores possiveis,impossíveis, fáceis, difíceis, passageiros, e por último, aquele amor pra vida toda e o mais importante de todos os amores,o amor próprio.
Conquistas suadas, sofridas e merecidas.
Sorrisos,serenidade e gratidão por cada amanhecer. Coragem,ousadia...o suficiente para dizer: 'Sim, eu sou feliz!'
A vida é isso. Não aprendemos antes de viver. Vivemos e aprendemos. A vida é um risco,não tem garantia. Não temos certeza de nada. O futuro é incerto. O que passou não muda e não volta mais.Hoje é o dia de fazer a diferença. Hoje é o dia de viver ,hoje é o dia de decidir...
Só hoje.

quarta-feira, julho 13, 2011

Sobre o tal "Dar um tempo" nos relacionamentos...

Este texto foi copiado do blog "Um ombro amigo" da Gisa (http://www.umombroamigo.com/2010/03/dar-um-tempo-existe.html)Gostei e estou postando aqui no meu blog.Parabéns ao autor!!!

Dar Um Tempo Existe?
Você recebe um telefonema. O tom de voz do seu namorado não é muito legal e você percebe que tem algo errado. Ele diz que vocês precisam conversar e você já sabe que é notícia ruim. Vocês se encontram mas você ficou remoendo algum problema e já sabe o que ele pode estar querendo. A relação de vocês já não vai muito bem, porém ao invés de terem conversado antes pra tentar resolver a situação, esta será a primeira vez que ambos irão sentar para discutir o que está acontecendo de errado. Acontece que essa não é uma simples discussão pra tentar resolver o problema, mas sim pra fugir dele.


O fundamental nisso tudo, é saber que "dar um tempo" não existe.
Quando queremos dar um tempo, é porque nossa relação está desgastada de certa forma, mas não sabemos simplesmente que podemos ajustar tudo com uma boa conversa e um "plano" de ação para reerguer esse relacionamento, ou então terminando tudo de uma vez.

Por que Pedimos Um Tempo?

Já ouviu aquela expressão "cozinhar no banho maria"? Você gosta da pessoa, mas não quer deixar de ter alguém apaixonado por você. Isso acontece muito. Todo mundo gosta de saber que tem alguém interessado na gente. Isso faz bem pro nosso ego. Quando se termina uma relação totalmente, estamos "liberando" aquela pessoa pra continuar a viver sua vida e procurar outro alguém pra colocar no lugar. E isso não é muito de nosso agrado, afinal estamos "perdendo" alguém. E se no tempo em que você está dando um tempo, pra ver se "arranja outro alguém" aí por acaso, aquela pessoa que você estava antes gostar de outro? Muitas vezes por isso damos um tempo. Assim, mantemos um prêmio de consolação ali, esperando por nós, caso a gente falhe nesse "tempo".

Mais Sobre o Assunto: Cozinhar em Banho Maria

Ás vezes damos um tempo alegando que estamos ocupados demais pra uma relação, mas estamos de todo jeito mantendo aquela pessoa acorrentada a nós, sofrendo com a separação, enquanto nos sentimos relativamente bem, por saber que tem alguém ali. Estamos cometendo um erro. Pode ser que esse tempo seja dado também porque amamos a pessoa, mas não sentimos mais paixão. Ambos não souberam manter a paixão acesa, então achamos que a melhor solução é ficar separado por um tempo até sentir saudades e ambos voltarem a ficar juntos de novo. Erro! Quando praticamos a separação para reacender a chama da paixão, é porque não aprendemos a nos relacionar. Não sabemos lidar com a paixão, então praticamos a separação, a perda, como único meio de sentirmos falta da outra pessoa, e assim, nos sentir apaixonados novamente. Nos apaixonar é uma arte que precisa ser dominada, e é assunto de outro tópico.

Damos um tempo por algum desses motivos - descubra o seu :


1-Não saber manter a paixão acesa, mas ainda amar aquela pessoa.

2-É não ter cuidado do relacionamento direito ou não saber/querer se relacionar, mas gostar da situação de ter alguém gostando da gente, mantendo aquela pessoa escrava dos sentimentos até quando convier, por covardia.

3-Querer "curtir" por aí, mas ter alguém (um bobo), esperando pela gente quando a gente se cansar de fazer o que quiser.

4-Medo de responsabilidade ou de nos entregar a um sentimento, achando que está sendo escravo. O que define imaturidade pra se relacionar - mas não quer perder aquela pessoa.

5-Relação desgastada e vão procurar na distância, reacender a paixão, por não saber fazer isso de outra forma.

6-Quando um dos dois quer terminar, mas não sabe como fazer isso, porque sabe que o outro não vai aceitar e está muito apaixonado. Então ele usa o "dar um tempo" para que o outro se acostume com a ausência aos poucos. Quando na verdade ele não vai mais voltar.

De qualquer forma, se você foi quem "levou o tempo", acorde e perceba que você será o mais afetado de todos. Se o motivo foi a relação gasta, existe como reacender essa paixão destruindo a rotina, e terminar não é a melhor forma.

Mais sobre Rotina do Casal

De qualquer forma, não deixe que a situação de "dar um tempo" seja real. Se é pra terminar, que a relação termine de uma vez, e ninguém fique escravo de ninguém, vendo os minutos no relógio passando, sem saber quando tudo voltará ao normal, sem poder tocar sua vida pra frente, enquanto o outro se sente livre. Se submeter a essa situação é deixar ser escravizado. Abra os olhos, o que você precisar fazer para reaver o que foi perdido no relacionamento tem que ser feito enquanto os dois estão juntos, pelos dois, e não deixar um sofrendo enquanto o outro se diverte. Também não é ambos darem as costas pra um problema, sendo que vocês se amam, e esperar que o tempo faça tudo sozinho. É sinal de imaturidade.

Dar um tempo, é sinal de imaturidade na relação.

terça-feira, julho 12, 2011

"O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranquila. Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: "Se eu fosse você".
A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não-escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção."

(Rubem Alves)

segunda-feira, julho 11, 2011

Ouça - Maysa

Grande Maysa...inesquecível

A Despedida do Amor



Existem duas dores de amor:
A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.
A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços,
a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também...

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém. É que, sem se darem conta, não querem se desprender. Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida... Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós.

Queremos, lógicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.
É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a 'dor-de-cotovelo' propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: "Eu amo, logo existo".

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente...
E só então a gente poderá amar, de novo.
(Martha Medeiros)

domingo, julho 10, 2011

Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras pessoas. E outras coisas...
(Clarice Lispector)

quinta-feira, julho 07, 2011

Eu não vim fazer juras, e nem promessas estive na sua vida por esse curto período de tempo com a intenção de mostrar a vc o quanto nós poderiamos ser felizes...
mas fui condenada antes disso... lembre-se amei vc todos os dias que estivemos juntos.





 

 Vera Waterkemper

A FAVOR DE GENTE DE VERDADE




Eu sou apaixonada por palavras. Música. E pessoas inteiras. Não importa seu sobrenome, onde nasceu ou quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono. Gosto de quem mete a cara, arrisca o verso, desafia a vida. Tem muita coisa dentro de você? Então jogue essa porra de identidade fora e senta aqui. Pára de falar da festa. Da viagem. Das 300 horas que ficou sem dormir ouvindo tuntz tuntz. Tá bom, pode falar! Mas seja breve. Eu quero saber sobre você. VOCÊ! Você não é só uma festa, uma foto de orkut, um carro bonito que te custa caro. Você não é só um i-phone, uma tv de plasma, uma notícia barata de jornal. VOCÊ É GENTE! E gente sente. Gente ama, sofre, sente sono. E tem medo. EU TENHO MEDO. Eu, na verdade, tenho muitos medos. E um deles é que as pessoas virem apenas uma IMAGEM. Não para os outros (que se fodam os outros!), mas para si mesmo. Meu Deus, aonde vamos parar? Antes que a conversa se estenda, quero esclarecer logo. Não sou hipócrita, veja bem. Também adoro um auê, uma frescurinha, champagne boa. Tenho um ego chato que apaga fotos em máquinas alheias. Fico emburrada se a calça jeans não entra. Brigo cá com meus defeitos (que são caros, fartos e meus). E acho que todo mundo também. Mas o que vim dizer hoje não é isso. Ou melhor, é sim. O que eu quero falar na verdade é que: A GENTE PODE SER BEM MAIS QUE ISSO. Que tal preocupar-se um pouco mais com SER do que com o TER, nem que seja pra variar? Me conte suas viagens, me mostre sua história, mas seja sincero: você detestou aquele lugar que todo mundo ama! VOCÊ ODIOU, na verdade. Então pra quê dizer que foi uma viagem “do caralho” e colar aquelas fotos com aquela gente cretina bem no meio do seu mural? Não precisa fazer linha comigo, nasci desalinhada, você sabe. Lembre-se de quem você era, DE QUEM VOCÊ É. (Você se lembra?). É sua essência, tudo o que há por trás desse sorriso lindo e óculos escuros. É minha gente. Estou naqueles momentos silenciosos em que pouca coisa parece fazer sentido. Sigo a vida conforme o roteiro, sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro eu deliro e questiono. Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais ou menos, nasci com dois pares de asas, vou aonde eu me levar. Por isso, não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E rezar – se ainda acreditar – pra sair ainda bem melhor do outro lado de lá.
(FERNANDA MELLO)

Você merece....

‎"Você merece alguém que o ame a cada batida de seu coração, alguém que pense a seu respeito a cada instante, alguém que passe cada minuto do dia apenas se perguntando o que você está fazendo, onde está, com quem está e se está bem. Precisa de alguém que possa ajudá-lo a alcançar seus sonhos e protegê-lo de seus medos. Alguém que vá tratá-lo com respeito, que ame cada lado seu, especialmente suas falhas. Você deveria estar com alguém que possa fazê-lo feliz, realmente feliz, flutuando de felicidade. Alguém que deveria ter aproveitado a chance de estar com você anos atrás, em vez de ter se assustado e se amedrontado demais para tentar.

* Onde Terminam os Arco-Íris *

quarta-feira, julho 06, 2011

sobre mudança...



Não se esqueça que todas as mudanças que decidimos fazer na nossa vida resultam num aumento do nosso conhecimento pessoal, independentemente do resultado final. Por essa razão, quando se nos depara a necessidade de uma mudança na nossa vida é fundamental ter a coragem e a humildade necessárias para não a adiar nem mais um dia.

Quantas vezes se levantou exausto de manhã e teve vontade de mudar de emprego, porque o trabalho que faz fá-lo sentir-se usado, humilhado, e não lhe suscita nenhum interesse, e nada mais faz do que continuar a levantar-se cada manhã, cansado e a dizer mal do seu emprego? E quando alguém lhe oferece uma hipótese de trabalhar no estrangeiro e você recusa por temer uma mudança geográfica e fica a lamentar-se durante anos?

Quantas vezes decidiu começar uma dieta ou deixar um vício a partir do dia seguinte e nunca o fez? Há quanto tempo mantém uma relação sem amor e limita-se a dizer que pode ser que as coisas melhorem sem tomar quaisquer atitudes no sentido de a alterar? Há quanto tempo dá por si a ter um estranho prazer em criticar os outros quando no fundo está a procurar esconder a sua incapacidade em tomar a iniciativa de agir? E porque é que continua a usar a desculpa do cansaço, de uma doença, da idade, para protelar uma mudança e não consegue esconder uma pontada de inveja por quem consegue fazê-lo?

Pois eu digo-lhe que você pode ficar exactamente como está toda a sua vida enquanto continuar a adiar as mudanças. Quando você elimina a hipótese de mudanças na sua vida, elimina simultaneamente todos os riscos que lhe são inerentes e sente-se erradamente protegido. Tomar a decisão de não continuar a adiar a mudança e levá-la adiante requer uma boa dose de coragem e de humildade. Mas você tem-na! Só não acredita que a tem. O único factor que o impede é você próprio e as escolhas que faz (ou não faz) por não acreditar que é capaz de as levar em frente. Por isso, decida mudar! Não tenha medo! Vamos em frente! Mudanças trazem recompensas! Mude para poder gostar de si!

José Micard Teixeira

Aceitação



As coisas não estavam fluindo como eu esperava em determinada situação e, segundo a minha visão do que deveria acontecer em determinado tempo, eu diria que as coisas não estavam dando certo. Até que uma noite, lendo o livro 'As sete leis espirituais do sucesso' li sobre a aceitação... e aquilo serviu como uma luva, era tudo que eu precisava ouvir. "Hoje aceitarei pessoas, situações, circunstâncias, todos os fatos como eles se manifestarem". Saber que o momento é como deve ser.

Dizer a si mesmo: "minha aceitação será total e completa; verei as coisas como são no momento em que ocorrerem e não como eu gostaria que fossem". Uma ficha caiu, o não estar dando certo era o meu julgamento sobre a situação, um julgamento que poderia ser baseado em memórias equivocadas e esse julgamento não estava dando espaço para nenhuma outra possibilidade além daquela que eu esperava, eu estava resistindo a tudo que não fosse aquilo.

Aceitei o momento não resistindo ao presente, sabendo que tudo era como tinha que ser e que as coisas poderia estar dando certo e eu que não estava percebendo. Me lembrei que o nosso desejo da personalidade pode não ser exatamente o que é o desejo da nossa Alma e, mesmo que em alguns casos fosse, o nosso tempo é muito diferente do tempo natural e com a nossa pressa acabamos limitando a ação do Universo, querendo que tudo chegue a tempo e a hora e quando não chega, logo pensamos que não está dando certo, criamos resistência e com isso nos desligamos do fluxo natural.

Enfim, quando aceitei completamente a situação, fiquei calma, parece que saiu um peso enorme de dentro de mim que eu nem tinha percebido como estava me afetando. Alguns dias depois, as coisas fluíram e se manifestaram naquela situação da forma mais perfeita sem esforço e com leveza que nem em meus planos mais perfeitos eu poderia imaginar. Muitas vezes, acreditamos que as coisas só acontecem se percorrerem determinados caminhos, e que leva um tempo certo para que elas aconteçam. Aprendemos assim mas, para o Grande Mistério não existem limites nem condições.

Julgamos o tempo todo os acontecimentos tendo como referência as nossas experiências passadas, baseadas no que é conhecido, e com isso fechamos a porta para o novo para o desconhecido. Quando tomamos para nós a escolha de fazer as coisas do nosso modo, abrimos mão de todas as outras possibilidades, porque limitamos a ação do Universo, quando resistimos ao que Ele nos traz, se aquilo não se encaixa nos nossos planos.

O que chamamos Milagre pode fazer parte do nosso dia-a-dia quando estamos em sintonia com o que é natural e simples e podemos nos surpreender com coisas que pareciam impossíveis de acontecer, naturalmente acontecem em um tempo que nem cabe na nossa imaginação... Aceitar o nosso momento presente é uma chave preciosa, só assim podemos transformar o que é para ser transformado e perceber o que está perfeito como é.


(Rubia A. Dantés Mandala da Aceitação)

terça-feira, julho 05, 2011

"Se você conta com alguém que tem menos qualidades que você, isso levará à sua degeneração. Se você conta com alguém com qualidades iguais às suas, você permanece onde está.
Somente quando conta com alguém cujas qualidades são superiores às suas é que você atinge uma condição sublime".(Dalai Lama)

domingo, julho 03, 2011

Aiiiii Que alívio!!!!

Confirmado:
O mundo não acaba em 2012.
Acabei de ver aqui, meu Nescau (achocolatado) vence em Fevereiro de 2013.

Quando um não quer....dois não podem ser felizes!

Este texto foi escrito por Rosana Braga (Consultora).Conheço muitas pessoas que vivem dessa maneira...arranjando desculpas de que "tudo vai mudar" que a pessoa vai "perceber" que a(o) ama,que é "apenas uma fase" que a pessoa "tem problemas" .E por aí a fora e vão se enganando e perdendo a oportunidade de abrir espaço pra que um amor de verdade chegue em suas vidas....
E viva o amor,ele é lindo quando é correspondido,quando duas pessoas se amam de verdade e olham na mesma direção,o resto é baixa estima,masoquismo e mais uma relação imensa que não estou disposta e escrever aqui!! Meninos e meninas,amem bonito e vivam felizes!





Para quem está de fora, é bem mais fácil perceber quando alguém está insistindo numa história que, muito provavelmente, não tem futuro. Mas para quem está envolvido diretamente nesta tal história, tentando simplesmente ser feliz no amor, parece que sempre vale a pena tentar mais uma vez.

Afinal, quase sempre o outro dá alguns sinais. Em geral, não são exatamente sinais verdes, mas amarelos, com certeza. Ou seja, deixa brechas que fazem com que a pessoa se encha de esperança, crie expectativas e fortaleça a ideia de que, quem sabe, talvez, se persistir mais um pouquinho, dê certo e engatem um encontro de verdade.

Acontece que, entre uma esperança e outra, sempre vêm duas ou três frustrações, mais furos, mais desencontros, menos sintonia. E assim segue o ritmo desgastante e doloroso que só não vê quem não quer: quando um não está disponível, dois não podem viver uma história de amor!

Se você se identifica com algo parecido, se tem se sentido derrapando na estrada que acredita que te levará ao encontro da tão desejada felicidade, lembre-se do sábio dito popular: “para um bom entendedor, meia palavra basta”. Isto é, pare de dar “murro em ponta de faca”, reveja suas escolhas, olhe para a realidade tal qual ela se mostra e pare de viver de ilusões seguidas de desastrosas desilusões!

Você merece bem mais do que isso, mas só vai viver, de fato, algo que realmente te faça crescer e se sentir feliz quando acreditar nesta possibilidade e acender, você mesmo, todos os sinais vermelhos para esta história morna, sem intensidade, sem profundidade e sem coração na qual você vem insistindo em investir.

Em primeiro lugar, perdoe tudo isso, todo o seu passado e todo o seu presente. Compreenda que todos nós erramos para, então, finalmente, acertar! Agora, convicto do que quer, talvez você se dê conta de que a pessoa que está procurando, a que você realmente quer encontrar, não é esta com quem vem lutando e se machucando há tempos. A que você realmente merece encontrar é aquela que estará tão envolvida quanto você.

Sim, isso mesmo, você precisa de um novo amor, mas não de um amor que só existe no seu mundo ou nas suas expectativas vazias. A partir de hoje, portanto, vai investir na busca ou mesmo na espera (consciente e equilibrada) de um amor recíproco, intenso, inteiro, entregue, que esteja tão disposto quanto você a experimentar todos os sentimentos e a superar qualquer dificuldade.

Um relacionamento que lhe renda sonhos realizados, desejos vivenciados e uma história consistente entre duas pessoas que reconhecem que vale a pena insistir, sim, num amor, desde que os dois corações estejam seguindo o mesmo caminho, na mesma direção. E assim, quem sabe, você nunca mais se deixe consumir numa insistência masoquista, esvaziada de qualquer criatividade ou reciprocidade...

Isto é amar e ser livre. Amar e ser feliz!

sábado, julho 02, 2011

Depois que inventaram a palavra desculpa, magoar os outros ficou muito fácil.

Jai Uttal - Guru Bramha


‎"À medida que a paz interna aumenta, os problemas externos desaparecem; à medida que a verdade permeia a mente, a harmonia reorganiza a vida." (Paul Brunton)