sexta-feira, dezembro 30, 2011

Uma oração.A Fiz em 2005 e todos os anos posto aos meus amigos e pra não ser diferente...lá vai de novo! Feliz Ano Novo!!!!!

FELIZ 2012 - FELIZ ANO NOVO - A MAIS LINDA MENSAGEM EXTRAÍDA DO CORAÇÃO

FELIZ ANO NOVO!!!!!! Que venha abençoado e iluminado! E que todos nós possamos fazer a nossa parte com amor,força,determinação,persistencia,paz e bem...Que possamos fazer o bem,sempre com a verdade e coração aberto assim como fizemos em todos os anos que se foram...E ao olharmos pra trás possamos dizer: Valeu à pena!!!!!!!! E que venha 2012!!!!!!

terça-feira, dezembro 20, 2011

Pois é....

O Deus de Spinoza

Albert Einstein, quando perguntado se acreditava em Deus, respondeu:

“Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia
de tudo o que existe, e não no Deus que se interessa pela sorte e
pelas ações dos homens”.

DEUS SEGUNDO SPINOZA

“Pára de ficar rezando e batendo o peito !

O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que
Eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo
construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias.

Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar da tua vida miserável.

Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que
tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu
amor, teu êxtase, tua alegria.

Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo.

Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus
amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum
livro!
Confia em mim e deixa de me pedir.

Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Pára de ter tanto medo de mim.

Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo.

Eu sou puro amor.

Pára de me pedir perdão.

Não há nada a perdoar.

Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de
sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.

Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?

Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos
que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus
pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são
artimanhas para te manipular, para te controlar,
que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.

A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu
estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem
um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre.

Não há prêmios nem castigos.

Não há pecados nem virtudes.

Ninguém leva um placar.
Ninguém leva um registro.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um
conselho. Vive como se não o houvesse.
Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir.

Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não.

Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste...

Do que mais gostaste?

O que aprendeste?

Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar.

Eu não quero que acredites em mim.

Quero que me sintas em ti.
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas
tua filhinha, quando acaricias
teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Pára de louvar-me!

Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?

Me aborrece que me louvem.

Me cansa que agradeçam.
Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas
relações, do mundo.
Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria!

Esse é o jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te
ensinaram sobre mim.

A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo
está cheio de maravilhas.

Para que precisas de mais milagres?
Para que tantas explicações?
Não me procures fora!

Não me acharás.

Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti.”

Baruch Spinoza.

As sábias palavras são de Baruch Espinoza - nascido em 1632 em
Amsterdã, falecido em Haia em 21 de fevereiro de 1677, foi um dos
grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia
Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz. Era de
família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo
bíblico moderno.

Acredite, essas palavras foram ditas em pleno Século XVII.
Continuam verdadeiras e atuais até a data de hoje.

O Elefante e a Estaca



Quando eu era menino, adorava os circos, e o que mais gostava neles eram os animais. Para mim, e também para outros, como fiquei sabendo depois, era o elefante que chamava atenção. Durante o espetáculo, aquele animal enorme fazia uma demonstração de peso, tamanho e força descomunais... mas depois de sua apresentação e até pouco antes de voltar ao picadeiro, o elefante ficava amarrado por uma das patas com uma corrente presa numa pequena estaca cravada no chão.

A estaca era um minúsculo pedaço de madeira enterrado uns poucos centímetros no solo. E, embora a corrente fosse grossa e resistente, eu achava que era óbvio esse animal, capaz de arrancar uma árvore pela raiz com sua força, poder fugir facilmente, puxando a estaca do chão.

O mistério é evidente:

O que faz com que ele fique, então?
Por que não foge?

Quando tinha cinco ou seis anos, ainda confiava na sabedoria dos adultos. Perguntei, então, a algum professor, algum pai ou algum tio sobre o mistério do elefante. Um deles me explicou porque o elefante era amestrado.

Então, fiz uma pergunta óbvia:

- Se é amestrado, por que o acorrentam?

Não me lembro de nenhuma resposta coerente.

Com o tempo, esqueci o mistério do elefante e da estaca... e só me lembrava quando me encontrava com outros que também tinham a mesma dúvida.

Há alguns anos conheci, felizmente, alguém que tinha sido sábio o bastante para encontrar uma resposta: O elefante do circo não foge porque sempre esteve preso a uma estaca parecida a essa desde que era muito, muito pequeno.

Fechei os olhos e imaginei o recém-nascido à estaca.

Tenho certeza de que naquele momento o elefantinho empurrou, puxou e suou, procurando soltar-se. E, apesar de tanto esforço, não conseguiu.

A estaca certamente era muito forte para ele.

Poderia jurar que ele dormiu, cansado, e que no dia seguinte tentou de novo, e também no dia seguinte, e no seguinte...

Até que um dia, um terrível dia para a sua história, o animal aceitou sua impotência e resignou-se ao seu destino.

Esse enorme e poderoso elefante que vemos no circo não escapa porque acha – coitado – que NÃO PODE.

Ele tem o registro e a lembrança da sua impotência, daquela impotência que sentiu logo depois de nascer.

E o pior de tudo é que nunca mais voltou a questionar seriamente esse registro.

Jamais... jamais... tentou pôr sua força outra vez à prova.



- É isso aí. Todos somos um pouco como esse elefantinho do circo: vamos pelo mundo amarrados a muitas estacas que nos tiram a liberdade. Vivemos acreditando que “não podemos” um montão de coisas, simplesmente porque alguma vez, quando éramos criancinhas, provamos e não pudemos. Fizemos, então, o que o elefante fez: gravamos em nossa memória: NÃO POSSO... NÃO POSSO E NUNCA PODEREI.

- Crescemos carregando essa mensagem que nos impusemos e nunca mais voltamos a tentar. No máximo, de vez em quando, sentimos os grilhões, fazemos soar as correntes ou olhamos para a estaca pelo canto do olho e confirmamos o estigma: NÃO POSSO E NUNCA PODEREI!!!

A única maneira de saber se você agora pode é tentar novamente, pondo todo o seu coração...

TODO O SEU CORAÇÃO ...

(Extraído de:“Deixa eu te contar uma história ... contos que me ensinaram a viver”

Jorge Bucay – Editora Planeta)
"Para ter uma vida diferente aproxime-se de pessoas diferentes, vá a lugares diferentes e faça escolhas diferentes. Melhores."
(por Aldo Novak)

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Apenas uma reflexão

Esta semana presenciamos a indignação de milhões de pessoas,tanto daqui do Brasil como do exterior.Onde foi postado um video de uma moça (Camila Moura) matando um cachorrinho Yorkshire,as imagens doem na alma,o sofrimento do cãozinho é visivel e o pobrezinho acabou morrendo logo após.
Eu fiquei chocada,triste sentindo as dores do cão e imaginando como as pessoas podem ser tão cruéis e covardes a ponto de matar um bichinho tão pequeno e dócil como aquele cãozinho.Como não bastasse a retardada dessa moça ainda o fez em frente à sua criança de mais ou menos 3 anos...Um belo exemplo,não? Quem faz isso com um bichinho,certamente faz com crianças ,pessoas adultas e idosos....A profissão dessa senhora é ,pasmem,enfermeira...sim,enfermeira...coitados daqueles que caírtem nas mãos dela!
Para quem não viu o filme está aqui:


Mas o que eu quero expressar é outra coisa ,além da minha indignação sobre esse assunto...Todos nós ficamos tão chocados e ao mesmo tempo somos tão irracionais e hipócritas...
Me perguntei depois: Quem filmou,por que não evitou que aquilo continuasse?Queria fama,queria ver a morte do cãozinho pra postar no Youtube? Onde estava a consciencia de quem filmou?
Há muito tempo tenho pensado nisso... Nós "humanos" como somos chamados,nos sentimos superiores aos animais....Nós somos seres pensantes (será?) .
Alguém já parou pra pensar que muitos de nós somos carnívoros? Os animais que comemos sofrem também,são mortos pra nos servir....Por que não ficamos chocados ?
Devo confessar que quando pequena eu via minha mãe matar as galinhas pra fazer o nosso almoço...Bem eu via em termos...sabia que ela mataria e eu sumia de perto dela pra não ver,não tinha coragem de ver a ave sofrer,morrer...Uma vez o almoço pronto...eu comia...
Houve outra passagem da minha infância ...quando meu pai resolveu matar um cabritinho novo pra uma data especial.Aquele cabritinho era muito bonitinho,nós as crianças (meus irmãos e eu) brincávamos com ele e no dia que meu pai deu-nos a noticia,nós imploramos,choramos e de nada adiantou,ele foi pro forno...Neste dia,só meus pais comeram e nós ,choramos e ficamos em jejum....Sentia que meu pai tinha matado nosso amiguinho e não queriamos comê-lo.
E hoje recebí um video que realmente me fez pensar o quanto somos estúpidos e como precisamos rever nossos conceitos de proteção aos animais,conceitos alimentares e educação pras próximas gerações....Pensem nisso....
Vejam o video :

Carne é Assassinato (The Smiths)

Lamento do bezerro poderia ser choro humano
Aproxima-se a faca gritante cada vez mais
Esta linda criatura deve morrer
Esta linda criatura deve morrer
Uma morte sem razão
E morte sem razão é assassinato
E a carne que você distraidamente frita
Não é suculenta, saborosa ou algo do tipo
É morte sem razão
E morte sem razão é assassinato
E o vitelo que você destrincha com um sorriso é assassinato
E o peru que você fatia festivamente é assassinato
Você sabe como os animais morrem?
Os aromas da cozinha não são familiares
Não são "acolhedores", "confortáveis" ou algo do tipo
E o sangue sendo frito e o profano odor
É de assassinato
Não é "natural", "normal" ou algo do tipo
A carne que você animadamente frita
A carne em sua boca
é você saboreando o sabor de assassinato
Não, não é outra coisa, é assassinato
Quem ouve quando os animais choram?

Gosto não se discute!

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Um show em computação gráfica!

Veja que show de tecnologia e de engenharia no vídeo do trecho do Metrô, já em construção, que ligará o Leblon à Barra da Tijuca/ Rio de Janeiro.Pena que o video não menciona a previsão de quando esta obra ficará pronta! Melhor visualização em tela cheia! (Watch Full Screen)


METRO BARRA from Archigraph on Vimeo.

domingo, dezembro 11, 2011

sábado, dezembro 10, 2011

A Carta - Renato Russo e Erasmo Carlos

"Quem ama não desiste, não trai, não mente. Quem ama é paciente, confia, entende. Amar é virtude que poucos têm.”
(Renato Russo)


Legião Urbana
Composição: Benil Santos / Raul Sampaio

Escrevo-te estas mal traçadas linhas meu amor
Porque veio a saudade visitar meu coração
Espero que desculpes os meus erros por favor
Nas frases desta carta que é uma prova de afeição.

Talvez tu não a leias mas quem sabe até darás
Resposta imediata me chamando de "Meu Bem"
Porém o que me importa é confessar-te uma vez mais
Não sei amar na vida mais ninguém.

Tanto tempo faz, que li no teu olhar
A vida cor-de-rosa que eu sonhava
E guardo a impressão de que já vi passar
Um ano sem te ver, um ano sem te amar.

Ao me apaixonar por ti não reparei
Que tu tivesses só entusiasmo
E para terminar, amor assinarei
Do sempre, sempre teu...

Tanto tempo faz, que li no teu olhar
A vida cor-de-rosa que eu sonhava
E guardo a impressão de que já vi passar
Um ano sem te ver, um ano sem te amar.

Ao me apaixonar por ti não reparei
Que tu tivesses só entusiasmo
E para terminar, amor assinarei
Do sempre, sempre teu...

Escrevo-te estas mal traçadas linhas
Porque veio a saudade visitar meu coração.

Escrevo-te estas mal traçadas linhas
Porque veio a saudade visitar meu coração.

Escrevo-te estas mal traçadas linhas
Espero que desculpes os meus erros por favor
Meu amor, meu amor...

sexta-feira, dezembro 09, 2011

"Se você gosta de crianças, tenha um filho ou adote uma criança.
Se você gosta de animais,adote um gato,um cão ou outro bichinho qualquer...
Se você quer um companheiro, tenha um homem...um homem de verdade – não aceite nada menos do que um homem, ou seja, alguém que já tenha abandonado as fraldas,as infantilidades... que toma suas próprias decisões e se responsabiliza por seus atos"

quarta-feira, dezembro 07, 2011

Jason Mraz - I'm Yours (Live On Earth Single Video)

Ctrl-X Ctrl-V Ctrl-Z

Pára-choque de caminhão

Experiencia...

Gostaria de dividir minha experiência com vocês, e que tem a ver com beber e dirigir.
No último sábado, saí com amigos para beber umas cervejas em Araçoiaba, que fica
a uns 90 km daqui, e perdi a conta de quantas cervejas eu bebi.
Sabendo o quanto estava bêbada, fiz algo que nunca fizera antes : peguei um ônibus.
Cheguei em casa sã e salva, sem nenhum incidente, o que me deixou perplexa,
uma vez que eu nunca havia dirigido um ônibus. rsssss

segunda-feira, dezembro 05, 2011