terça-feira, julho 17, 2007

It's too late...



It's too late to turn back now! by The Cornelius Brothers & Sister Rose.
Uma delícia de música pra ouvir,com fotos em preto e branco de cenas de filmes famosos da história do cinema.Romance e amor!
Apreciem!

sexta-feira, julho 13, 2007



Durante anos, ele foi apresentado como o “próximo presidente dos Estados Unidos”, mas no meio de uma crise pessoal devastadora e uma derrota controversa na eleição de 2000, Al Gore fez uma coisa totalmente inesperada: caiu na estrada, não em busca de exílio, mas como showman. A sua “apresentação” é multimídia, sem envolvimento com nenhum partido, que revela através de uma combinação original de humor, desenhos e evidência científica convincente os efeitos ressonantes que o aquecimento global está causando no nosso planeta. É também um apelo interessante e inspirador, que aponta para a oportunidade de transformar a ingenuidade norte-americana em trabalho no ataque a essa crise. Gore já fez sua apresentação mais de mil vezes em auditórios de escolas e salas de conferência de hotéis em cidades grandes e pequenas, sempre com a finalidade de incitar o público a mudar o rumo daquilo que pode ser a maior catástrofe da história da humanidade. Duas pessoas que se envolveram com a apresentação de Gore são os conhecidos ativistas ambientais Laurie David e o produtor do filme Lawrence Bender ('Kill Bill'). Laurie David apresentou duas apresentações com lotação esgotada de Gore em Nova York e Los Angeles. Ela atesta: “Senti que Al Gore se transformou no nosso Paul Revere, viajando pelo país para fazer esse alerta vital que não podemos ignorar. Depois de pesquisar sobre o tema durante 40 anos, ninguém entende melhor desse assunto que Al Gore e ninguém pode explicá-lo com mais clareza e emoção para o cidadão comum. Mas ele teria que ficar na estrada os 365 dias do ano para alcançar todas as pessoas necessárias, e não havia tempo”.


Lawrence Bender lembra: “Quando vi a apresentação do Gore, logo percebi que serviria de base para um filme incrível. Estávamos convencidos de que a verdade emocionante que Gore apresentava tinha que ser experimentada numa escala bem maior”.

Inspirados a agir, David e Bender abordaram o amigo roteirista, diretor e veterano premiado do Clio de propaganda criativa, o produtor Scott Z. Burns, e também o produtor executivo Jeff Skoll, da Participant Productions ('Terra Fria'), especializada em criar filmes sobre questões sociais. Após uma apresentação de Gore, o grupo sentiu que estava na hora de dar o pontapé inicial na produção. Jeff Skoll observa: “Eu sempre achei que entendia bem do assunto porque havia estudado e lido sobre isso durante muitos anos, mas quando vi a apresentação do Al Gore mudei totalmente de opinião. Eu via isso como uma questão com desdobramentos para os próximos 20 ou 30 anos, e compreendi que a coisa é bem mais urgente. Temos talvez cinco ou dez anos para fazer algo significante. E como Gore tentava alertar cerca de 100 pessoas em cada uma de suas apresentações, sentimos que tínhamos de envolver muito mais gente, e o mais rápido possível”. Da mesma forma que Gore, os produtores sabiam que os perigos iminentes do aquecimento global transcendem a política. O produtor Scott Z. Burns comenta: “A Ciência, por definição, consegue estar livre da manipulação política. Gore não estava pedindo o nosso voto, mas a nossa atenção e o nosso desejo de fazer algo para mudar as coisas”.

Os produtores compreenderam que estavam se mobilizando para realizar uma produção bem incomum. Laurie David recorda: “Sabíamos que o que estava em jogo era o planeta. E só faltava convencermos o sr. Gore”. E esse grupo de produtores se viu numa reunião com o ex- vice-presidente dos EUA para convidá-lo a fazer o filme. Gore entendeu de imediato que enquanto levava sua mensagem para milhares de pessoas com sua apresentação, um filme poderia alcançar milhões de cabeças. “Essa crise climática global exige uma ação rápida, sábia e grande de nossa parte”, afirma Al Gore, que viu UMA VERDADE INCONVENIENTE como mais um passo para conseguir chamar a atenção do mundo para essa situação de extrema urgência. Assim, os cineastas recrutaram o diretor Davis Guggenheim (INTRIGAS) para dar um ritmo acelerado e um estilo intimista e de entretenimento ao filme. UMA VERDADE INCONVENIENTE era a chance de Davis Guggenheim retornar às suas raízes de documentarista enquanto contava uma história repleta de profundidade de sentimentos e muitas surpresas. Quanto mais ia aprendendo sobre a ciência por trás dos alertas de Gore, mais a história intrigava o diretor. “O sonho do cineasta é achar um assunto que o motive ao ponto de dizer: ‘Tenho que fazer esse filme!’, e essa história fez isso comigo. Senti que se nunca fizesse mais nada em minha vida além de dar vida à esta produção, já teria realizado bastante coisa”, diz ele.

À medida que a produção se desenvolvia, mais ficavam evidentes as preocupações iniciais, voltadas à forma como o público e a mídia iriam abordar um filme sobre dois assuntos controversos — Al Gore e o aquecimento global. Contudo, esses medos foram deixados de lado depois da elogiada e bem-recebida estréia do filme no Festival de Cinema de Sundance. O diretor Davis Guggenheim admite que no começo foi um tanto difícil deixar de chamar o “sr. vice presidente” de Al. “Mas quanto mais tempo passava com ele, mais passava a vê-lo como uma figura profundamente humana. Ele se tornou um homem engraçado, pensativo e fascinante, que por acaso também tinha um conhecimento extraordinário sobre o aquecimento global. Acabei montando uma história humana que guia todo o filme, baseada num personagem notável que, num momento traumático, fez uma escolha difícil, deixando todo o resto de lado para dedicar sua vida a uma questão que ninguém mais queria falar. Sou o tipo de diretor que adora emoções fortes e senti isso quando vi Al Gore tentando se reconstruir depois de 2000 e tentando salvar o mundo. Havia algo muito forte nisso”, relata Guggenheim.

Al Gore foi abrindo sua vida para Guggenheim, revelando as muitas formas surpreendentes e às vezes emocionantes em que sua vida pessoal se mesclou com sua forte crença na beleza, santidade e apoio emocional da Terra. O diretor dá ênfase a três eventos-chave na vida do ex-vice-presidente que ajudaram a moldar seu envolvimento com o meio ambiente: o acidente de carro que quase tirou a vida de seu filho caçula; a morte de sua irmã com câncer de pulmão, levando em consideração que sua família tem uma plantação de tabaco; e sua derrota na campanha presidencial de 2000 contra George W. Bush. “A possibilidade de perder um filho foi uma experiência muito dolorosa que me ensinou muitas lições. Por exemplo, nunca havia compreendido até então que um dos segredos da condição humana é que o sofrimento une as pessoas. Aprendi que quando os outros que experimentaram a dor que eu estava sentindo vinham até mim, acabávamos nos conectando, alma com alma, de uma forma transformadora e curadora. No final, percebi de uma forma totalmente nova a possibilidade de perdermos a nossa preciosa Terra (ou, pelo menos, sua receptividade em habitar os humanos) de uma forma que nunca havia percebido antes, nem emocionalmente, nem espiritualmente”, conta Al Gore. Quanto ao título original do filme, AN INCOVENIENT TRUTH, ele explica: “Algumas verdades são difíceis de ouvir porque, se você realmente as ouvir, e entender que elas são realmente verdade, então você tem que mudar. E mudar pode ser bem inconveniente”.


'Uma Verdade Inconveniente' chega aos cinemas nacionais dia 03 de Novembro.

href="http://2.bp.blogspot.com/_9IoNb651Rrg/RpepkztVGhI/AAAAAAAAAHI/IMsVTgV3t5g/s1600-h/verdadeinconveniente.jpg">
© Cinepop.com.br -. Todos os direitos reservados.
Fonte:UIP

Veja abaixo o filme

An Incovenient Truth

Para refletir e agir!Ainda há tempo!

quarta-feira, julho 11, 2007

Amor/Tesão/Casamento

Amor: Quando seus olhares se encontram numa sala lotada.
Tesão: Quando as línguas se encontram numa sala lotada.
Casamento: Quando vocês perdem a criança numa sala lotada.


Amor: Não importa se um dos parceiros não chegou ao orgasmo.
Tesão: A relação acaba se um dos dois não chegou ao orgasmo.
Casamento: O que quer dizer orgasmo?

Amor: Os dois se telefonam só pra ouvir um alô.
Tesão: Os dois se telefonam para escolher o motel.
Casamento: Um liga para o outro para avisar que vai chegar tarde.


Amor: Você escreve poemas de amor para o outro.
Tesão: Você escreve bilhetinhos de sacanagens para o outro.
Casamento: Você só escreve cheques de pagamento.

Amor: Você está interessado em fazer tudo "para" ela.
Tesão: Você está interessado em fazer tudo "com" ela.
Casamento: Você só está interessado no resultado do jogo de futebol.

O Sapato



Um dia um homem já de certa idade abordou um ônibus. Enquanto subia, um de seus sapatos escorregou para o lado de fora. A porta se fechou e o ônibus saiu; então ficou impossível recuperá-lo.

O homem tranqüilamente retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.

Um rapaz no ônibus, vendo o que aconteceu e não podendo ajudar ao homem, perguntou:

- Notei o que o senhor fez. Por que jogou fora seu outro sapato?

O homem prontamente respondeu

- De forma que quem o encontrar seja capaz de usá-los. Provavelmente apenas alguém necessitado dará importância a um sapato usado encontrado na rua. E de nada lhe adiantará apenas um pé de sapato.

O homem mostrou ao jovem que não vale a pena agarrar-se a algo simplesmente para possui-lo e nem porque você não deseja que outro o tenha. Perdemos coisas o tempo todo. A perda pode nos parecer penosa e injusta inicialmente, mas a perda só acontece de modo que mudanças, na maioria das vezes positivas, possam ocorrer em nossa vida. Acumular posses não nos faz melhores e nem faz o mundo melhor. Todos temos que decidir constantemente se algumas coisas devem manter seu curso em nossa vida ou se estariam melhor com outros.

A.D

Cartão Vazio

Dá-me a tua mão: Vou agora te contar
como entrei no inexpressivo que sempre
foi minha busca cega e secreta.
De como entrei naquilo que existe entre
o número um e o número dois, de como
vi a linha do mistério e do fogo, e que é
linha sub-reptícia.
Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato, entre dois
grãos de areia, por mais juntos que estejam,
existe um intervalo de espaço, existe um sentir
que é entre o sentir nos interstícios da matéria
primordial, está a linha de mistério e fogo que
é a respiração do mundo, e a respiração contínua
do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de
silêncio
.

(Clarisse Lispector)

"Não te embales muito na miragem do longe e do depois, a fim de não perderes o que arde invisível no perto e sopra em silêncio no agora."


Aníbal Monteiro Machado
(escritor brasileiro -1884-1964)

sexta-feira, julho 06, 2007

Goobye Mom!


A young man shopping in a supermarket
Noticed a little old lady following him around.
If he stopped, she stopped. Furthermore she
kept staring at him.

She finally overtook him at the checkout,
And she turned to him and said,
"I hope I haven't made you feel ill at ease;
it's just that you look so much like my late son."

He answered, "That's okay."

"I know it's silly, but if you'd call out
"Good bye, Mom" as I leave the store,
It would make me feel so happy."

She then went through the checkout,
And as she was on her way out of the store,
The man called out, "Goodbye, Mom."

The little old lady waved, and smiled
Back at him

Pleased that he had brought a little
sunshine Into someone's day, he went
to pay for his Groceries.

"That comes to $121.85," said the clerk.

"How come so much ...
I only bought 5 items.."

The clerk replied,
" Yeah, but your Mother said
You'd be paying for her things, too."

Don't trust little Old Ladies!!!

Uma boa resposta!

Nota da GM para comentário do Bill Gates.
Vale a pena ler, inteligente a resposta!!! Numa recente feira
de informática (Comdex), Bill Gates fez uma infeliz comparação da
indústria de computadores com a automobilística, declarando:
"Se a GM tivesse evoluído tecnologicamente, tanto quanto a
indústria de computadores evoluiu estaríamos dirigindo carros que custariam 25 dólares e que fariam 1.000 milhas por galão (algo como 1.600 km/l)".

A General Motors, respondendo, divulgou o seguinte comentário:

Se a Microsoft fabricasse carros:
01 - Toda vez que eles repintassem as linhas das estradas, você teria
que comprar um carro novo.

02 - Ocasionalmente, dirigindo a 100 km/h, seu carro morreria
na auto-estrada sem nenhuma razão aparente, e você teria apenas que
aceitar isso, sem compreender o porque! Depois, deveria religá-lo
(desligando o carro, tirando a chave do contato, fechando o vidro
saindo do carro, fechando e trancando a porta, abrindo e entrando
novamente... Em seguida sentar se no banco, abrir o vidro,
colocar a chave no contato e ligar novamente). Depois, bastaria ir em
frente.

03 - Ocasionalmente a execução de uma manobra a esquerda poderia fazer
com que seu carro parasse e falhasse... Você teria então que
reinstalar o motor! Por alguma estranha razão você aceitaria isso como
"normal".

04 - A Linux faria um carro em parceria com a Apple,
extremamente confiável. Cinco vezes mais rápido e dez vezes mais fácil de dirigir.
Mas apenas poderia rodar em 5% das estradas.

05 - Os indicadores luminosos de falta de óleo, gasolina e bateria
seriam substituídas por um simples "Falha Geral ou Defeito Genérico"
(permitindo que sua imaginação identifique o erro!).

06 - Os novos assentos obrigariam todos a terem o mesmo tamanho de
bunda.

07 - Em um acidente, o sistema de air-bag perguntaria: "Você tem
certeza que quer usar o air-bag?".

08 - No meio de uma descida pronunciada, quando você
ligasse o ar-condicionado o radio e as luzes ao mesmo tempo, ao pisar no
freio apareceria uma mensagem do tipo "Este carro realizou uma operação
ilegal e será desligado!" (IRRETOCÁVEL).

09 - Se desligasse o seu carro utilizando a chave, sem antes ter
todas as funções do carro durante meia hora, e ainda lhe daria uma bronca para
não fazer isto novamente. (ÓTIMA).

10 - A cada novo lançamento de carro, você teria de reaprender a
dirigir. Coisa fácil: voltaria a auto-escola para tirar uma nova
carteira de Motorista. (PODE PARECER EXAGERO, MAS PENSANDO BEM É ISSO MESMO).

11 - Para desligar o carro, você teria de apertar o botão
"Iniciar"(PERFEITA).

12- A única vantagem: Seus netos saberiam dirigir muito melhor do
que você!

Funeral da tia Josefa...



Toda a família em Cuba se surpreendeu quando chegou de Miami um ataúde com o cadáver de uma tia muito querida. O corpo estava tão apertado no caixão que o rosto estava colado no visor de cristal....

Quando abriram o caixão encontraram uma carta presa na roupa com um alfinete, que dizia assim:

Queridos Papai e Mamãe.

Estou lhes enviando os restos de tia Josefa para que façam seu enterro em Cuba, como ela queria.

Desculpem por não poder acompanhá-la, mas vocês compreenderão que tive muitos gastos com todas as coisas que, aproveitando as circunstâncias, lhes envio.

Vocês encontrarão, dentro do caixão, sob o corpo, o seguinte: 12 latas de atum Bumble Bee, 12 frascos de Condicionador e 12 de shampoo Paul Mitchell, 12 frascos de Vaselina Intensive Care (muito boa para a pele. Não serve para cozinhar!), 12 tubos ! De pasta de dente Crest, 12 escovas de dente e 12 latas de Spam das boas (são Espanholas) e 4 latas de chouriço El Miño. Repartam com a família, sem brigas!

Nos pés de titia estão um par de tênis Reebok novos, tamanho 9, para o Joselito (é para ele, pois com o cadáver de titio não se mandou nada para ele, e ele ficou amuado). Sob a cabeça há 4 pares de "popis" novos para os filhos de Antônio, são de cores diferentes (por favor, repito não briguem!).

A tia está vestida com 15 pulôveres Ralph Lauren, um e para o Robertinho e os demais para seus filhos e netos. Ela também usa uma dezena de sutians Wonder Bra (meu favorito),dividam entre as mulheres e também os 20 esmaltes de unhas Revlon que estão nos cantos do caixão. três dezenas de calcinhas Victoria's Secret devem ser repartidas entre minhas sobrinhas e primas. A titia também está vestida com nove calças Docker's e 3 jeans Lee.

Papai, fique com 3 e as outras são para os meninos. O relógio suíço que Papai me pediu está no pulso esquerdo da titia.

Ela também está usando o que mamãe pediu (pulseiras, anéis, etc).

A gargantilha que titia está usando é para a prima Rebeca, e também os anéis que ela tem nos pés.

E os oito pares de meias Chanel que ela veste são para repartir entre as conhecidas e amigas, ou, se quiserem, as vendam (por favor, não briguem por causa destas coisas, não briguem).

A dentadura que pusemos na Titia é para o vovô, que ainda que não tenha muito o que mastigar, com ela se dará melhor (que ele a use, custou caro).

Os óculos bifocais, são para o Alfredito, pois são do mesmo grau que ele usa, e também o chapéu que a tia usa.

Os aparelhos para surdez que ela tem nos ouvidos são para a Carola. Eles não são exatamente os que ela necessita, mas que os use mesmo assim, porque são caríssimos.

Os olhos da Titia não são dela, são de vidro. Tirem-nos e nas órbitas vão encontrar a corrente de ouro para o Gustavo e o anel de brilhantes para o casamento da Katiuska.

A peruca platinada, com reflexos dourados, que a titia usa também é para a Katiuska, que vai brilhar,linda, em seu casamento.

Com amor, sua filha Carmencita.


PS1: Por favor, arrumem uma roupa para vestir a tia para o enterro e mandem rezar uma missa pelo descanso de sua alma, pois realmente ela ajudou até depois de morta. Como vocês

repararam o caixão é de madeira boa (não dá cupim); podem desmontá-lo e fazer os pés da cama de mamãe e outros consertos em casa. O vidro do caixão serve para fazer um porta-retrato da fotografia da vovó, que está, há anos

Precisando de um novo. Com o forro do caixão, que é de cetim branco (US$ 20,99 o metro) Katiuska pode fazer o seu vestido de noiva.

Não esqueçam, com a alegria destes presentes, de vestir a Titia para o enterro!!! Com amor, Carmencita.


PS2: Com a morte de tia Josefa,

Tia Blanca caiu doente. Se quiserem antecipar algum pedido.

terça-feira, julho 03, 2007

Casamento/Separação


Nas últimas décadas,temos testemunhado uma espécie de banalização da experiência conjugal.
É cada vez maior o número de casamentos que são rapidamente desfeitos.Sem muito pensar,os parceiros dizem: "Vamos nos separar".
Na verdade,é como se estivessem dizendo:"Assim não brinco mais!"
E acabam se separando mesmo,sem refletir sobre as causas da insatisfação.
Acontece que um casamento não é uma brincadeira e não se pode simplesmente botar a bola em baixo do braço e sair de campo.Ou,pelo menos,não parece sensato fazer isso de forma irrefletida,uma vez que a união foi desejada.Numa perspectiva sensata e adulta,a questão que se coloca é:no que está pensando um casal (ou uma de suas partes) quando diz que quer separar-se? O que se esconde por trás desse "não brinco mais?"
Talvez a intenção seja preservar as individualidades,engolidas pelos papéis associados ao casamento.Talvez a proposta radical só mascare um protesto,uma queixa,ou expresse desejos pessoais,demandas que não requerem,de modo algum,rompimento.
Construir um casamento não é tarefa fácil.Exige revisão de valores e a renúncia a expectativas,hábitos,crenças,projetos,desejos e até esperanças.Isso não significa que essas dimensões serão levadas à extinção,tampouco que uma parte deva se anular diante das necessidades e demandas da outra.
Mas significa que a união conjugal é um ponto zero à partir do qual se estabelecem novos costumes,intentos,planos e ideais de felicidade.Para empregar um jargão psicológico,o casamento não é a soma de duas individualidades,mas um terceiro fenômeno,que transcende,supera e se diferencia da mera colagem dessas individualidades,para alcançar um feito novo: a vida a dois.Vida a dois é diferente da vida de um mais um,mas muitas pessoas entram no casamento movidas pela ingênua crença de que apenas somarão duas peculiaridades.
Ou casam-se apoiadas na suposição de que o casamento é a preservação de um - um só-,acrescido de um apêndice,uma espécie de upgrade.Adquire-se um marido ou uma esposa como se compra uma coisa utilitária qualquer,que deverá simplesmente se ajustar àquilo que já está pronto,ou seja: a própria individualidade,o próprio modo de ser,os próprios hábitos e valores.
O tal "não brinco mais!",mascarado de "quero me separar",em geral expressa o ressentimento pela vivência da perda de uma condição idealizada,em que o parceiro é almejado como um adereço,sem que tenha de renunciar a nada,sacrificar nada,aprender nada e,não menos importante,sem que a pessoa se disponha a evoluir.A experiência dessa perda é,de fato,penosa.Poucas pessoas se preparam para vivê-la,por não compreenderem o significado do casamento.Imaginam uma coisa e,quando chegam lá,é outra.
No entanto,é bom advertir: todos os casais passam por frustrações e decepções,além de experimentarem enorme demanda por transformações pessoais.
Todos,não apenas aqueles que chegam à separação.A frustração é inerente à empreitada conjugal - sem ela não existem crescimento,evolução e transformação.
Bem-sucedidos são os casamentos que sobrevivem à perda da imagem idealizada de que uma união é feita somente de harmonia.
Sejamos otimistas,porém também sensatos:basta que os pretendentes saibam que a tão desejada harmonia é um ponto ao qual se chega,que se constrói,raramente se apresentando como um ponto de partida.
Mesmo quando presente desde o início,a harmonia há de ser desconstruída em favor da edificação de uma configuração melhor e mais madura.
Na mitologia grega,Harmonia é filha de Afrodite e de Ares,ou seja,resulta do encontro do amor com a guerra.Se quisermos ser dispensados da segunda,dificilmente teremos conhecido a fundo a primeira.

(Alberto Lima) Psicoterapeuta de orientação junguiana,é professor-doutor em Psicologia Clínica e autor de O Pai e a Psique .

Mais uma de mineiro...

O primo da cidade foi passar o natal com os parentes do sítio. No dia de natal tava lá discutindo com o primo caipira o que tinha ganhado de presente. Ai o primo da cidade querendo esnobar o pobre falou:

- Primo, viu o que eu ganhei de presente? Um "iPod"!! Espetacular.

O primo caipira retrucou:

- Bão primo, muito bão!!

Aí o da cidade perguntou:
- Como bom, primo, o que foi que você ganhou?

- Ganhei isso aí tamém, uai.

- Mas quem te deu?

- Mminha namorada.
- E de que marca era?

- Sei lá primo. Nóis tava na cachoera nadano pelado. Eu cheguei por trás dela e encostei. Ela virou pra mim e falou: Ai! pode!.É Bão, primo, agora se tem marca eu sei não...

Noé...

Noé baixou uma lei em que OS animais só poderiam transar com um de sua
espécie e nos dias marcados.
Para isso, entregou uma fichinha para cada um dos animais contendo dia e
Hora para o ato.
O macaco (sempre o macaco) passou pela macaca, e, no meio de outros animais
Disse:
- Quarta-feira, 3 horas você vai sofrer!
A macaca ficou envergonhada.
Logo depois, de novo, lá vem o macaco, e no meio de outros bichos:
- Quarta-feira, 3 horas você vai sofrer. Ela, aborrecida, foi reclamar para
Noé..
- Noé, o macaco, toda hora que me encontra fala pra toda bicharada ouvir
Que, quarta-feira, 3 horas eu vou sofrer. Eu sei que quarta, 3 horas vamos
Transar, mas não precisa ficar anunciando aos quatro ventos.
Noé foi falar com o macaco, repreendendo, quando ouviu por resposta:
- Desculpe-me Noé, mas ela vai sofrer mesmo. É que eu perdi a minha
Fichinha pro jumento no jogo de truco.